terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

PINO DAENI – GRANDE PINTOR E ILUSTRADOR DE LIVROS

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara
Em Nüremberg
Pino Daeni, falecido em 2010, foi um dos mais renomados ilustradores de livros dos últimos tempos. Nascido em Bari, na Itália, em 1939, com o nome de Giuseppe Dangellico Daeni, foi um dos mais bem pagos desenhistas de capas de livros de nossos tempos.
É conhecido por seu estilo brilhante, tendo pintado mulheres românticas e extremamente femininas e homens fortes traçados com pinceladas soltas, mas precisas. Contratado por duas das maiores editoras da Itália, Mondadori e Rizzoli, recebeu inúmeros prêmios internacionais pela qualidade de seu trabalho.
Em 1978, transferiu-se de Milão, onde trabalhara por diversos anos, para Nova Iorque, onde continuou com o prestígio e a fama que angariara na Europa. Cansado dos prazos que lhe impunha sua carreira de ilustrador, decidiu voltar à pintura, enviado uma série de quadros para diversas galerias, tendo sido recebido com grande aceitação. Desde então, passou a ser entrevistado por diversas redes de TV e revistas de toda parte. Sua carreira plrosseguiu com o mesmo sucesso de pintor impressionista.
Muitas das obras de Daeni reproduzem cenários da natureza, como praias vibrantes e repletas de sol, de modo especial, paisagens do Mediterrâneo, de Bari, sua terra natal. É admirado por seu dom especial de capturar momentos fugidios e expressões inusitadas de suas personagens, na maioria delas mulheres ou crianças. Foi muito requisitado para pintar retratos.
 “Numa explicação muito sucinta poderá dizer-se que o Impressionismo, - técnica de pintura que caracteriza as telas de Pino Daeni - consiste na utilização de pinceladas vibrantes, de cores puras, diretamente na tela de modo a obter a fusão dos tons nos olhos do expectador em vez de se misturarem na tela. Esta técnica atende menos à forma, como que negando a corporeidade dos objectos, em favor de iluminações e vizinhanças diferentes nos jogos de luz que pretende captar. Liberta-se, assim, da velha noção de claro/escuro, em que se fundamenta a pintura clássica.
O termo Impressionismo ficou a dever-se à irrisão de um jornalista a propósito dum trabalho de Monet que fazia parte duma exposição coletiva realizada em Paris em 1874, trabalho esse que autor designou como "Impressão - Sol nascente"
A designação foi aceite pelos expositores, e acabou por difundir-se com a adesão de Manet,, Cézane e Degas. A arte de Pino elicia sentimentos do calor, da nostalgia, do amor e da família. As suas pinturas têm, frequentemente, como tema praias vibrantes e ensolaradas, típicas do mediterrâneo, onde o artista nasceu - na Itália.
Pino iniciou-se nesta atividade no Instituto de Arte de Bari, Itália, prosseguindo depois os seus estudos na Academia de Milan, de Brera. Após ter-se estabelecido como um artista bem sucedido em sua terra natal, Pino imigrou para os EUA, procurando mais oportunidades. Foi descoberto pela distinta galeria de Borgui, o que lhe deu a oportunidade de realizar diversas exposições em New York e Boston.”
(fonte: /www.blogger.com/profile/01085214952835893299)

Galeria de obras de Pino Daeni:
Music of the soul


Immersed in love

Dreaming in Color

Seaside Retreat

Seaside Walk
Bedtime Stories

Elegant Seduction
Sensuality 
Tuscan Stroll
A Time to Remember
Fleeting Moments
Late Night Reading
Music Lover

Whispering Heart






PINO DAENI – GRANDE PINTOR E ILUSTRADOR DE LIVROS

Pino Daeni, falecido em 2010, foi um dos mais renomados ilustradores de livros dos últimos tempos. Nascido em Bari, na Itália, em 1939, com o nome de Giuseppe Dangellico Daeni, foi um dos mais bem pagos desenhistas de capas de livros de nossos tempos. É conhecido por seu estilo brilhante, tendo pintado mulheres românticas e extremamente femininas e homens fortes traçados com pinceladas soltas, mas precisas. Contratado por duas das maiores editoras da Itália, Mondadori e Rizzoli, recebeu inúmeros prêmios internacionais pela qualidade de seu trabalho. Em 1978, transferiu-se de Milão, onde trabalhara por diversos anos, para Nova Iorque, onde continuou com o prestígio e a fama que angariara na Europa. Cansado dos prazos que lhe impunha sua carreira de ilustrador, decidiu voltar à pintura, enviado uma série de quadros para diversas galerias, tendo sido recebido com grande aceitação. Desde então, passou a ser entrevistado por diversas redes de TV e revistas de toda parte. Sua carreira plrosseguiu com o mesmo sucesso de pintor impressionista. Muitas das obras de Daeni reproduzem cenários da natureza, como praias vibrantes e repletas de sol, de modo especial, paisagens do Mediterrâneo, de Bari, sua terra natal. É admirado por seu dom especial de capturar momentos fugidios e expressões inusitadas de suas personagens, na maioria delas mulheres ou crianças. Foi muito requisitado para pintar retratos. “Numa explicação muito sucinta poderá dizer-se que o Impressionismo, - técnica de pintura que caracteriza as telas de Pino Daeni - consiste na utilização de pinceladas vibrantes, de cores puras, diretamente na tela de modo a obter a fusão dos tons nos olhos do expectador em vez de se misturarem na tela. Esta técnica atende menos à forma, como que negando a corporeidade dos objectos, em favor de iluminações e vizinhanças diferentes nos jogos de luz que pretende captar. Liberta-se, assim, da velha noção de claro/escuro, em que se fundamenta a pintura clássica. O termo Impressionismo ficou a dever-se à irrisão de um jornalista a propósito dum trabalho de Monet que fazia parte duma exposição coletiva realizada em Paris em 1874, trabalho esse que autor designou como "Impressão - Sol nascente" A designação foi aceite pelos expositores, e acabou por difundir-se com a adesão de Manet,, Cézane e Degas. A arte de Pino elicia sentimentos do calor, da nostalgia, do amor e da família. As suas pinturas têm, frequentemente, como tema praias vibrantes e ensolaradas, típicas do mediterrâneo, onde o artista nasceu - na Itália. Pino iniciou-se nesta atividade no Instituto de Arte de Bari, Itália, prosseguindo depois os seus estudos na Academia de Milan, de Brera. Após ter-se estabelecido como um artista bem sucedido em sua terra natal, Pino imigrou para os EUA, procurando mais oportunidades. Foi descoberto pela distinta galeria de Borgui, o que lhe deu a oportunidade de realizar diversas exposições em New York e Boston.” (fonte: /www.blogger.com/profile/01085214952835893299)