domingo, 18 de agosto de 2013

Para meus amigos... por Aldema Menini Mckinney

Minha santa maninha de tantos momentos, nós fomos nascendo um para o outro no "devagar de pressa dos tempos", nas grandes distâncias que, em nos separando, nos unem. Tantos gostos comuns, tantas diferenças... Junge-nos um amor fraternal de natureza divina, mas profundamente humano. Temos algumas paixões comuns como a de palmilhar este mundo em cujos caminhos encontram-se as trilhas dos deuses. Amo a tua força vitoriosa de encarar as adversidades e ao mesmo tempo de usufruir dos dons que vida abundantemente colocou à tua mesa. Serenamente com sereno gesto, o semblante ameno dos que sabem, vais em frente sempre. E a existência coroa-te com a felicidade espelhada em teu sorriso franco que encanta a todos e embala meu espírito rumo ao infinito. O amor que nos une é de uma natureza especialmente elevada e simples que me faz feliz. Bondosa menina das muitas horas de estudo compartilhadas, um laço forte e irresistível do teu ser arrasta-me para a felicidade que me ensina a unir-me cada vez mais solidamente à minha Cris. Compartilho contigo a felicidade das bodas de prata que Cris e eu comemoramos no amor que ilumina nosso caminho de uma forma muito nova neste ano.
Fraternos ósculos do velho amigo
Oscar Brisolara