quinta-feira, 27 de novembro de 2014

PROSERPINA – MITOLOGIA ROMANA

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara

Joseph-Marie-Vien - Proserpine orne de le
 buste de Cérès sa mère
Os romanos, depois do processo de helenização de sua cultura (uma orientação para o modelo cultural grego), remodelaram seus cultos e mitos, com base na clássica mitologia grega. Por esse processo, abandonaram, ou melhor, deram menor importância a divindades nacionais como Saturno, o poderoso eus da agricultura, e Diana, a divindade das florestas.
Instituíram, como divindade suprema, Júpiter, que representaria o papel exercido por Zeus na cultura grega. A esposa de Júpiter era Juno, correspondendo à deusa Hera, entre os gregos.
 Assim, Proserpina seria a divindade equivalente à divindade grega Perséfone. Filha de Júpiter e Ceres, deusa da agricultura e das colheitas, de onde vem o substantivo cereal. Uma das funções de Ceres seria prover o povo de cereais, alimentos agrícolas.
Plutão, divindade romana dos infernos, teria raptado a filha da deusa rural. O termo latino rus, ruris, plural rura, que significa campos, deu origem a uma família etimológica de palavras como rural, ruralismo, etc.
Ao saber do desaparecimento da filha, Ceres teria destruído todas as colheitas e lavouras e imposto uma condição para a reconstituição das plantas e da agricultura: a devolução de sua filha.
O rapto de Proserpina, de Luca Giordano,
 no Palazzo Medici Riccardi , Florença

Como, por estratégia da poderosa divindade do mundo infernal, Proserpina havia ingerido bagos de romã, alimento da morada das trevas, não poderia jamais abandonar definitivamente o submundo.
A jovem permaneceria nos antros infernais em companhia do marido durante o inverno. Nesse período, Ceres, com saudades da filha, descuidava dos campos. As plantas morriam. As folhas tombavam. Com o prenúncio do retorno de Proserpina, porém, a primavera principiava, o ar aquecia, os dias se tornavam ensolarados e começavam a reverdecer os campos e as flores a desabrochar.
CERES –  Jean-Antoine Watteau (1684-1721),
 Washington ..





Na Europa, a primavera começa em maio. Então, o dia 31 de maio era consagrado, wem Roma, a Proserpina. Poeticamente, maio é conhecido como o belo mês das flores. Veja-se a quase identidade entre o mito de Deméter Ceres e o mito grego de Perséfone e Deméter.