quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

IMENSAS RACHADURAS NA ANTÁRTICA - PODEM SER VISTAS DOS SATÉLITES

mudanças-climaticas-aquecimento-global



Antártica se parte em pedaços, sinais de iminente mudança no eixo polar
Posted by Thoth3126 on 22/01/2017


Uma NOVA rachadura de cerca de quarenta quilômetros de extensão na Antártica, que levou a Grã Bretanha a fechar uma base de pesquisas, está sendo monitorada pelos cientistas e foi filmada pelo Instituto de Pesquisa Antártico Britânico (BAS, na sigla em inglês). Localizada na plataforma de gelo Brunt, no mar de Weddell, parte do Oceano Antártico, a rachadura ganhou o nome de “Fenda Halloween” por ter sido descoberta no dia das bruxas, 31 de outubro, em 2016.
Edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Duas novas e grandes rachaduras no gelo no mar de Weddell forçaram o fechamento da estação Halley VI

Segundo o BAS, existe a possibilidade que a rachadura se rompa, dando origem a um gigantesco iceberg e, se isso acontecer, a base, chamada Halley VI, pode ser destruída. Por essa razão, os dezesseis pesquisadores que ficariam na estação no período de inverno, entre março e novembro, irão para casa e a base será levada para lugar mais longe das rachaduras.

Confira o vídeo feito pelos cientistas:


Grã-Bretanha fecha estação de pesquisa na Antártica por causa de novas rachaduras no gelo
Duas grandes rachaduras no gelo forçaram o fechamento da estação Halley VI durante o inverno, entre março e novembro. A base de pesquisa da Grã-Bretanha na Antártica ficará fechada durante este ano devido a duas grandes rachaduras na placa de gelo sobre a qual está construída.
O temor dos cientistas é que as rachaduras se rompam, dando origem a gigantescos icebergs e, se isso acontecer, a base, poderia ser destruída. Os dezesseis pesquisadores que ficariam na estação no período de inverno, entre março e novembro, irão para casa e a base será levada para longe das rachaduras.

Base na Antártica

A base britânica está localizada na plataforma de gelo Brunt, no mar de Weddell, parte do Oceano Antártico. Segundo o Instituto de Pesquisa Antártico Britânico (BAS, na sigla em inglês), responsável pela Halley VI, nenhum pesquisador corre perigo no momento.

Mais uma gigantesca rachadura na cobertura de gelo surgiu na Antártica (YouTube/Reprodução)

Há 88 pesquisadores que trabalham na base, a maior parte deles durante os meses de verão. Contudo, se a rachadura aumentar durante os meses de inverno, em que as temperaturas caem drasticamente e os dias são de completa escuridão, a evacuação dos pesquisadores seria muito difícil.

Uma das rachaduras, localizada a sete quilômetros da base, existe há 35 anos, mas em 2012 demonstrou sinais de crescimento. A outra apareceu em outubro de 2016. Segundo Tim Stockings, diretor de operações da Halley VI, a estação estará pronta para ser reocupada assim que o inverno antártico acabar.

“O que decidimos fazer, devido às incertezas combinadas a nossa incapacidade de nos mudar no inverno – não há aeronaves no continente, é escuro e muito frio –, é que a coisa mais prudente a se fazer é retirar os pesquisadores, fechar a estação e voltar no próximo verão”, afirmou à rede britânica BBC.

Halley VI: Base da Grã-Bretanha na Antártida (British Antarctic Survey/ Divulgação)

A Halley VI é uma das três estações britânicas na Antártica, que existe desde 1956. A base tem importância global por fornecer dados sobre o clima na Terra, na atmosfera e no espaço. O buraco na camada de ozônio foi descoberto graças aos dados capturados pela estação, em 1985.

Profundas rachaduras no gelo

Na última quinta-feira, pesquisadores informaram que um gigantesco iceberg, considerado um dos dez maiores do mundo, está perto de se soltar da Antártica. O bloco de 5.000 quilômetros quadrados, área equivalente à do Distrito Federal, é resultante de uma grande rachadura na plataforma de gelo Larsen C, na Antártica, que se expandiu abruptamente no mês passado.

Apenas vinte quilômetros de gelo impedem que o imenso bloco se solte da plataforma e se torne um iceberg de 80 quilômetros de comprimento. Segundo os cientistas, rachaduras como essa existem há décadas, mas têm se intensificado nos últimos anos.

Os pesquisadores vêm acompanhando a rachadura na Larsen C por muitos anos. A plataforma tem espessura de 350 m e está localizada na ponta do oeste da Antártida, impedindo a dissipação do gelo

“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se APROXIMA RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes. Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol) que fará importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“ Saiba mais em http://thoth3126.com.br/illuminati-revelacoes-de-um-membro-no-topo-da-elite-explosivo/


“DESPERTA, TU QUE DORMES, e levanta-te dentre os MORTOS (INCONSCIENTES), e CRISTO te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como NÉSCIOS, mas como SÁBIOS” – Efésios 5:14,15

Mais informações:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.