domingo, 17 de maio de 2015

O RIO


O rio

O rio furioso e revolto
precipitou-se montanha abaixo
Levou com ele pedras e urzes com que topou em seu arrebatamento
Depois, envergonhado,
foi retornando, lentamente,
Virou um cálido vapor ainda imperceptível
Ficou serração, voltando,
montanha acima, primeiramente,
constrangido de seu ato,
Virou nuvens brancas passeando no topo dos vales
provocou arco-íris
por toda parte
nos vórtices abertos
e conferiu cor, luz e paz aos ares das montanhas...