quinta-feira, 7 de maio de 2015

UMA PEDAGOGIA INUSITADA

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara
campo de meu avô
Por muitos anos, segui os frades capuchinhos, como aluno dos seus seminários. Muitas noites, até dez horas, tínhamos um aprendizado especial. Cada um escolhia o frade que desejava ouvir.
Em torno de cada um deles, reunia-se uma roda de meninos. O pátio era enorme. Por muitas noites estreladas, ouvi dos lábios de frei Paulo, de cabelos branquinhos, e com ele contemplei o céu. Ouvi e observei a demonstração das constelações e seus componentes. Do alto de seus oitenta anos, muito aprendi sobre as rotas dos astros, as ausências de algumas estrelas em nosso céu, por certos meses. E muito ouvi sobre os mitos e as constelações. Elas comportam estrelas que se encontram a distâncias imensas umas das outras. E, triste, acompanhei-o ao túmulo, na década de 60.
Depois, havia o jovem frei Hugo, que discorria sobre tecnologia. Falava sobre a máquina de reproduzir fitas de cinema. Como funcionavam a banda do som e a das imagens. Como som e imagem se transformavam em energia elétrica e depois voltavam ao mundo das vibrações imagéticas, formando a aparência de movimento. E assim, a cada semana, buscava uma nova invenção, da energia nuclear ao funcionamento dos monjolos do campo.
Gruta do seminário em que estudei
em Vila Flores  - RS

Então, ouvia o frei Marciano, que a cada semana, abordava um país do mundo, desde seu surgimento, até os dias de hoje. Quem eram seus governantes da época e qual o sistema de governo.
Por sua vez, frei Olavo falava sobre cinema. Comentava os filmes importantes. Seus diretores e a formação dos atores. Fazia uma interpretação filosófica de cada filme. E convidava, para, no sábado à noite, assistir a um filme que havia comentado. Foi com ele que vi, pela primeira vez, “Os Dez Mandamentos” e “Roma Città Aperta”.
Frei Efrain encenava magistralmente histórias de diversas literaturas e frei Genésio, negro como ninguém, doutorado em Londres, discorria sobre álgebra, geometria e abordava magistralmente as diferenças e combinações de cores. Era mestre em cores e pintura, e fora considerado, na Inglaterra, um dos maiores peritos em distinção de tonalidades de cores.

Assim, tantos outros, por tantos anos, doze, ao todo. Não se consideravam esses encontros como aulas. Não havia provas e ninguém era obrigado a nada. Mas quanto aprendi nessas sessões noturnas, que se ficava triste quando o sino chamava para as preces, denominadas de completas, pois completavam a jornada, antes do repouso até as cinco horas da manhã seguinte.