quarta-feira, 4 de novembro de 2015

UM PAÍS CHAMADO VATICANO - 0 MENOR PAÍS DO MUNDO -







Encravado na cidade de Roma, o Vaticano é uma colina situada na região noroeste da cidade, que não possui ligação com as sete
colinas da cidade histórica. Na antiguidade pré-cristã, era o local dos oráculos muito antes da Roma cristã. Vaticanus, também conhecido como Vagitanus, era um deus etrusco, que "abria a boca do recém nascido para que ele pudesse dar o primeiro grito, o primeiro choro", por isso chamado de vagido. O seu templo, τέμενος em grego antigo. ficava no local de Vaticanum. O conceito de τέμενος (témenos) surgiu nas culturas clássicas do Mediterrâneo como uma área reservada para a adoração dos deuses. Alguns autores têm utilizado o termo para aplicar a um bosque sagrado. Segundo a tradição cristã, foi nesse local em que o apóstolo Pedro foi crucificado por ordem dos oficiais de Nero. Somente A sede primeira da Igreja Católica foi a Basílica de São João de Latrão, Lateranus em latim. Era uma propriedade de Fausta, esposa do imperador Constantino, que foi doada aos papas e onde foi construída pelo próprio imperador a majestosa basílica e o antigo palácio papal, logo após a "conversão" de Constantino ao cristianismo, nos primórdios do século IV d. C.
Os papas passaram a administrar o catolicismo a partir de Latrão do século IV até
As obras cristãs na colina do Vaticano começaram desde a morte de São Pedro em 67 d. C. Foi edificado um pequeno túmulo junto dos muros do Circo de Nero. Até 325, somente havia a singela sepultura do apóstolo, ocasião em que o imperador Constantino manda construir a primeira Basílica de São Pedro em formato de cruz grega.Depois da queda do Império Romano do Ocidente em 476 d. C, muitas foram as agressões que o templo do Vaticano sofreu, tendo sido a pior delas a invasão dos sarracenos de 847 d. C., quando foram construídas as muralhas que hoje cercam a cidade do Vaticano, dentro de Roma. Em 1377 os papas mudaram a sede da Igreja Católica para o Vaticano.
O VATICANO HOJE
Houve um fato muito marcante na Igreja: O Papa Bento XI (1303-1304) teria sido assassinado por negar-se a transferir o papado para a França, como desejava o rei da França, Felipe IV, o Belo. Porém, o Papa Clemente V, (Bertrand de Got), francês, portanto, assumindo o trono papal em 1305, em 1309, transfere a sede da Igreja Católica de Roma para Avinhão, na França, como desejava o rei francês.
Os papas permaneceram em Avinhão até 1377, quando o Papa Gregório XI, no reinado francês de Carlos VI, retornou para Roma, não mais para a Basílica de Latrão, mas para a Basília de São Pedro, no Vaticano.
Temos que recordar que o Vaticano se tornara a sede dos Estados Pontifícios, sendo um reino do centro da Itália que se foi solidificando a partir do imperador Constantino. O Rei do Sacro Império Romano Germânico Pepino O Breve confirmou a tradição e reconhecendo os Estados Pontifícios, já no século VIII d. C.
Com a unificação italiana em 1861 pelos revolucionários Cavour, Mazzini e especialmente Garibaldi, desapareceram os Estados Pontifícios. Com a revolução, restabeleceu-se a monarquia com o rei Vitório Emanuel II e todas as propriedades papais foram confiscadas pelo novo estado.
Com a extinção dos Estados Pontifícios, o rei declarou inviolável a pessoa do papa - considerado súdito italiano -, e concedia-lhe os palácios do Vaticano, o do Latrão e de Castel Gandolfo, acrescentando uma renda anual de 3,225 milhões de Liras. 
Além disso, permitia ao papa de exercer o direito de legação ativa e passiva, ou seja, reconhecia à Santa Sé a legitimidade de manutenção de sua rede diplomática. Considerando tais leis como um ato unilateral, Pio 9 as rejeitou, recusou a indenização oferecida e proibiu os católicos de participar das eleições políticas (non expedit). Pio IX declarou-se prisioneiro no Vaticano. Faleceu alguns meses após a morte do rei Vitório Emanuel, no dia 7 de fevereiro de 1878.
Começava, assim, a chamada “Questão Romana”, que só seria resolvida em 11 de fevereiro de 1929, com a assinatura dos Acordos de Latrão entre o papa Pio IX e o ditador fascista Mussolini, quando a igreja católica recebeu os territórios que lhe permitiram tornar-se um estado, mesmo se pequeno.
VATICANO - PALÁCIO E IGREJA DE LATRÃO - HOJE -
embora esteja distante do Vaticano geograficamente, junto com o Castel Gandolfo
e um conjunto de igrejas, o palácio e a Igreja de São João de Latrão também per-
tence ao Estado do Vaticano
VATICANO - SEDE ADMINISTRATIVA

BASÍLICA DE LATRÃO - DE CONSTANTINO

ESTADOS PONTIFÍCIOS EM ROXO - Na Idade Média, a Igreja Católica
administrava um reino no centro da Itália conhecido por Estados Pontifícios,
cujo rei era o Papa - Teve seu fim em 1861, com a unificação italiana
promovida por Garibaldi e seus sequazes.

VATICANO - GERAL 
VATICANO - VISTA AÉREA TOTAL
CASA SANTA MARTA
Atual Basílica de São Pedro, Vaticano
Maior e mais impressionante igreja do mundo, a Basílica de São Pedro foi construída ao longo de 120 anos entre 1506 e 1526. Situada no coração do Vaticano, a igreja tem 150 metros de extensão por 220 de comprimento, e pode receber até 60 mil pessoas durante suas missas.

BASÍLICA DO VATICANO - VISTA EXTERNA
A Basílica de São Pedro é um dos maiores edifícios católicos do mundo. Possui 218 metros de comprimento e 136 m de altura (incluindo a cúpula) e apresenta uma área total de 23 000 m². O edifício está ligado ao Palácio Apostólico por um corredor em direção à Scala Regia, construída por Sangallo, junto da fachada da Praça de São Pedro, e dois corredores que o ligam com a sacristia a ele adjacente. Esses viadutos foram projetados por Miguel Ângelo, por forma a que a sua presença não perturbe o perímetro da basílica, permitindo a existência de ramificações no templo. O exterior foi construído com travertino, e caracteriza-se pelo uso da ordem colossal a partir do qual se assenta o ático. Esta configuração foi idealizada por Miguel Ângelo e manteve-se no corpo longitudinal adicionado por Carlo Maderno.
O interior da basílica abriga 45 capelas e 11 altares que abarcam obras de arte bastante valiosas, entre as quais algumas da antiga basílica, como a estátua em bronze de São Pedro, atribuída a Arnolfo di Lapo. A cúpula da igreja tem 119 m de altura, medida por dentro.

BASÍLICA DO VATICANO - VISTA INTERNA



CRIPTA DO VATICANO - CEMITÉRIO SUBTERRÂNEO SOB A IGREJA DO VATICANO - TÚMULOS DOS PAPAS
O vasto cemitério subterrâneo ou cripta da Basílica de São Pedro é conhecido como as Grutas do Vaticano. A gruta possui os túmulos de dezenas de papas e outras pessoas importantes para a igreja. A maioria dos papas estão enterrados em outras igrejas de Roma. O lugar em que João Paulo II está enterrado é onde João XXIII estava antes de ser transferido para uma capela em 2001, após sua beatificação. João Paulo II está em um caixão de madeira de cipreste, que foi colocado dentro de um caixão de zinco lacrado e coberto por uma caixa de carvalho. Ao contrário de alguns de seus antecessores, o seu túmulo tem apenas uma simples pedra com o seu nome e as datas, em vez de um sarcófago ornamentado. Alguns membros da realeza européia também estão enterrados no cemitério subterrâneo, incluindo a rainha Cristina da Suécia.


CRIPTA SOB A IGREJA DO VATICANO

SUBTERRÂNEOS DO VATICANO

GRUTAS SUBTERRÂNEAS


MUSEUS DO VATICANO

Musei Vaticani
Os Museus do Vaticano constituem num conjunto de museus dentro da própria área do Estado do Vaticano e constituem um conglomerado de renomadas instituições culturais da Santa Sé, que abrigam extensas e valiosas coleções de arte e antiguidades colecionadas ao longo dos séculos pelos diversos pontífices romanos. Além destas instituições relativamente independentes entre si, das quais algumas possuem também subse(c)ções mais ou menos autônomas, os Museus Vaticanos supervisionam uma série de outros espaços dentro dos palácios da cidade do Vaticano, como galerias e capelas, que por si mesmos guardam alto interesse arquitetônico, histórico e artístico. como é o caso da Capela Sistina, que se constitui um anexo dos museus, bem como os Apartamentos Bórgia, que abrigou a famosa família do Papa Alexandre VI e seus filhos Giovani, Cesare, Lucrezia e Gofrei. Somente a amante do papa, Vanozza de Cattanei, jamais consentiu em residir no Vaticano.
Desde a Idade Média o papado foi acumulando um significativo acervo de obras de arte, algumas remontando ao Império Romano, que eram mantidas no Patriarcado de Latrão, a antiga residência papal. Entre as peças mais importantes estavam a Loba capitolina, a Estátua equestre de Marco Aurélio e fragmentos de duas estátuas colossais representando Constantino I (veja Colosso de Constantino), mas nesse período não havia uma consciência museológica, a coleção não era sistematizada e não havia um programa de aquisições. Somente ao longo do Renascimento, quando surgiu um renovado interesse pela arte e cultura clássicas da Antiguidade, e os grandes aristocratas começaram a formar importantes coleções privadas de relíquias arqueológicas e objetos de arte antigos, é que a ideia moderna de museu começou a se formar. Acompanhando essa tendência, em 1503 o papa Júlio II criou um espaço no Vaticano, o Pátio do Belvedere, construído por Bramante, para receber parte de sua coleção pessoal e de algumas obras antigas importantes que haviam sido recentemente descobertas em escavações e adquiridas pela Igreja, como o Apolo Belvedere.
Jardim dos Museus do Vaticano



CASTEL GANDOLFO
Também faz parte do Estado do Vaticano o Castel Gandolfo, um castelo com jardins, junto al Lago Albano, nos arredores de Roma. É a residência de verão dos papas. Hoje vive aí o papa que renunciou Bento XVI.
Castel Gandolfo, jardins.

Castel Gandolfo


CASTEL SANT'ANGELO
Outro imóvel que pertence ao Vaticano, na cidade de Roma, é o Castel Sant'Angelo. Foi construído pelo imperador romano Antonino Pio para abrigar os túmulos dos imperadores, pois as antigas sepulturas dos césares estavam repletas. Situa-se nas proximidades da Basílica do Vaticano, às margens do rio Tibre.
Porém, o prédio passou aos papas que o transformaram primeiramente em fortaleza, sede dos exércitos papais, durante o período dos Estados Pontifícios. Hoje, é um museu aberto à visitação pública.
Castel Sant'Aangelo
DAS NOSSAS VISITAS AO VATICANO










Esta é uma pequena explanação de minhas vivências pessoais no Vaticano e das muitas visitas que tenho feito a esses país fantástico durante todos esses anos em que convivo com a Igreja Católica, numa relação de amor, respeito e crítica.