terça-feira, 24 de novembro de 2015

SI VIS PACEM, PARA BELLUM

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara
Em Roma
"Si vis pacem, para bellum". Em tradução livre seria: "Se desejas a paz, prepara-te para a guerra" Essa era a filosofia dos antigos romanos, cujas crenças afirmavam que os fortes impõem a paz, como o fez o imperador Augusto, após os conturbados anos que sucederam o assassinato de Júlio César. Impôs o que historicamente costuma-se caracterizar como "Pax Augustiana", ou seja, paz de Augusto. Significa a paz sob o tacão militar. Não podemos esquecer que os romanos foram vencidos pelos povos do norte da Europa e a própria Roma foi destruída. Parece-me que essa filosofia é inconsistente, como comprovam os fatos históricos. Em contraposição, disse o Galileu, em seu alardeado Sermão da Montanha: "Ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus, pois que Ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos." (Mateus, 5: 44 e seguintes). Temos que descobrir uma forma de pôr esta filosofia em prática, caso contrário, nosso mundo se transformará num caos de destruição, sofrimento e dor.