quarta-feira, 6 de novembro de 2013

FRAGMENTOS DE SONHOS

Aqui, meu avô construiu sua ESCOLA e seu sonho...
 Pergunto-me: Somente restou esta tapera... um canto de parede com tijolos que se apoiam uns nos outros aguardando a completa ruína... depois... uma árvore seca... arbustos selvagens engolindo a civilização e uma estrada, convidando para outro lugar...? 
Nada restou do velho sonho, do italiano velho que aqui viveu por anos e prematuramente entregou o corpo ao chão e a alma ao infinito? 
Não. Que nada! Se não lhe basto eu, fruto de minha mãe que lhe seguiu os passos, que me fiz mestre e doutor por obra primeira dele, há toda a legião de meninas e meninos que, deste torrão perdido, se foram pelo mundo fora como penas levadas pelo vento por destinos sem conta.
 Assim é a educação... 
Beijos, velho mestre vovô, plantador de sonhos e herói de pátrias, que da velha Europa veio enterrar suas carnes neste solo e sua alma no mundo...