quarta-feira, 13 de novembro de 2013

REFLEXOS DO INFINITO


Uma centelha desprendeu-se do Infinito, transpôs o universo e se concretizou em meu jardim, na forma de dois magníficos cravos brancos, que reacendem o amor sem conta e o aroma divinos. 
E o sol se fez feliz e se vestiu de loiro, um raio de felicidade visitou a minha alma... 
Divido contigo essa delícia, minha irmã, meu irmão, na fraternidade de todos os mundos reais e possíveis...