domingo, 8 de março de 2015

DAS RAPOSAS, SEUS MISTÉRIOS, MITOS E FÁBULAS


Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara 
A raposa, em textos literários, desde remota antiguidade, é apresentada, na literatura, como símbolo de esperteza e perspicácia. Desde o antigo literato grego Esopo, com sua fábula “A Raposa e as Uvas”, reproduzido magistralmente por Jean de La Fontaine, ela aparece como a interesseira frustrada, justificando o dito popular: “Quem desdenha quer comprar.”
raposa vermelha europeia

Porém, é preciso fazer uma diferença entre o animal que os europeus denominam de raposa e o que entendemos aqui por esse nome simbólico.
A raposa europeia pertence à família canidae, enquadrada no gênero Vulpes e espécie vulpes. Existem variedades de raposa de acordo com diferentes ambientes em que vivem. A raposa europeia, também conhecida geralmente como raposa vermelha,  devido  à cor de sua pelagem avermelhada, é um mamífero onívoro.
No entanto, em rfegiões desédrticas, desenvolve-se uma espécie conhecida como fenecos. Habitam os desertos do norte da África e da Arábia. Sua família é ainda dos canidae, mas o gênero é fennecus
fennecus - raposa do deserto

Há ainda outras variedades de raposa em outros ambientes. Trata-se, no mais das vezes, de um mamífero carnívoro, que se alimenta de pequenos animais. Existe um tipo de raposa completamente alva, que habita as regiões geladas próximas do polo norte, a  Alopex lagopus. 
raposa polar

As raposas sul-americanas, entre elas as nossas brasileiras, muito variadas e numerosas, são conhecidas como falsas raposas, pois, embora pertencendo a família dos canidae, não pertencem ao gênero vulpes. Seu gênero é o pseudoalopex (do grego ψευδός, falso e άλλόπεξ, raposa).
Algumas raposas sul-americanas são marsupiais, ou seja, carregam seus filhotes, nos primeiros dias após o nascimento, numa bolsa que possuem no ventre, semelhante à dos cangurus. São conhecidas também como gambás, ou seja, ventre oco, por seu ventre marsupial. Além do que, os gambás exalam forte cheiro desagradável, cuja finalidade é afastar seus predadores. 
gambá

Na América do Sul, no entanto, há muitos tipos de animais conhecidos pelo nome genérico de raposa. Há a conhecida raposa dos pampas, Lycalopex gimnocercus, conhecida também como graxaim-do-campo.
Todos esses animais são de hábitos noturnos, tanto as raposas europeias, quanto todas as outras. Do hábito de sair nas caladas da noite, talvez se origine sua fama de astúcia e esperteza.
O que as torna misteriosas, talvez sejam alguns hábitos comuns, como atacar animais domésticos à noite, como acontece geralmente com as galinhas. Outra característica de sua estranheza é a falta de agressividade. Atacam sorrateiramente. Muitas de suas espécies, ao serem apanhadas, figem-se de mortas, preservando, muitas vezes, a própria vida com esse ardil.
Suas peles são muito apreciadas para o vestuário. Por essa razão, foram caçadas impiedosamente. Houve épocas em que, usar uma pele de raposa ao redor do pescoço feminino era sinal de elegância e riqueza.
Seus hábitos instigaram a curiosodade dos poetas e inspiraram criativas narrativas com as quais se estimulou a educação da infância e da juventude.