segunda-feira, 12 de junho de 2017

POEMA PARA MINHA AMADA CRIS, NA COMEMORAÇÃO DOS NOSSOS 30 ANOS DE CUMPLICIDADE


















Trinta anos,
tantos meses, tantos dias,
tanta vida, num só dia,
repetido em tantos sonhos.
Esperanças, na esperança, a cada dia.
Hoje é o dia, nesta vida provisória,
em que dias resumidos num só dia,
tantos beijos resumidos num só beijo
perenizam o que estava confirmado.
Face a face, deslumbrado, ainda te vejo,
como ao beijo em que primeiro o amor selamos.
Trinta anos, é o tempo que do Alto nos foi dado.
É o tempo que nos traz ainda encantados,
que nos basta e que nos prende sempre mais.
É um junho em tantos junhos repetido,
neste doze das simbólicas heranças,
das essências numéricas dos arcanos do universo,
cujos gonzos inefáveis se sustentam,
nesse eterno e tangível movimento,
simulacro da perenidade e da constância,
sinal da eternidade convertida
em laços de paixão por toda vida.
Estes beijos que selamos tantas vezes,
selem almas nestes corpos já selados,
30 anos no Amor enfeitiçados.
Outros 30, se as deidades nos concedem,
viveremos lado a lado enamorados.