sábado, 4 de abril de 2015

CALENDÁRIO ROMANO OU JULIANO

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara
Musei Capitolini - Roma
O calendário utilizado pelos romanos durante o período clássico e os seguintes, até a elaboração do calendário cristão católico, conhecido por calendário gregoriano, é conhecido como Calendário Juliano.
O nome juliano deve-se a Júlio César, que foi o mandatário romano que o implantou. César, que nascera no ano 100 a. C., e que viria a falecer em 44 a. C., em 46 a. C. estava no auge de seu poder.
Nomeara-se cônsul vitalício, o que equivalia ao cargo de imperador, livrara-se dos incômodos triúnviros, o banqueiro Marco Licínio Crasso e o general Cneu Pompeu Magno e realizara a maioria das mudanças necessárias ao estabelecimento do Império, o que estava prestes a fazer. Sua execução, em pleno senado, em 15 de março de 44, impediu-lhe tal conquista. Assim, coube a seu sobrinho, Caio Otávio Torino, tornar-se o primeiro imperador romano, com o título
pomposo de Augustus.
Mas, como o calendário da antiga monarquia romana, desde Numa Pompílio e pela república dos cônsules, tinha apenas 355 dias e necessitava, de há muito, de uma atualização.
César estava preocupado com os efeitos que a diferença entre o ano solar e o ano oficial romano provocava, especialmente nas festas religiosas. Março era o primeiro mês do calendário romano antigo. Pois nesse ano de 46, as festas das flores, que marcariam o início da primavera, iriam ocorrer em pleno inverno, pois 10 dias a menos em cada ano, provocavam mudanças da disposição temporal das estações climáticas da natureza.
Contratou, então, o astrônomo alexandrino Sosígenes, segundo narra o grande sábio romano Plínio, o Velho, para que fizesse uma atualização do calendário romano.
O reformador efetuou mudanças no velho calendário. Aumentou o número de dias anuais para 365, primeiramente acrescentando dois meses ao antigo ano. Assim, adicionou provisoriamenteo Unodecembris e o Duocembris ao final do ano 46.
O ano 45 a. C., iniciou com Ianuarius e Februarius, meses que encerravam o ano de Numa Pompílio. Manteve os meses de Numa, porém, o ano não iniciava mais em março e, sim, em janeiro.
Ficou o ano desta forma: Ianuarius, Februarius, Martius, Aprilis, Maius, Iunius, Quintilis, Sextilis, September, October, November e December.
Calendário Juliano primitivo:

No.
Mês
Dias
1
Ianuarius
31
2
Februarius
29 ou 30
3
Martius
31
4
Aprilis
30
5
Maius
31
6
Iunius
30
7
Quintilis
31
8
Sextilis
30
9
September
31
10
October
30
11
November
31
12
December
30

Como eles precisavam ter de memória os dias do mês, uma vez que eram raríssimos os calendários escritos, os meses dividiam-se em três partes:
1)   As Calendas - (Kalendae) - primeiro dia do mês, de onde a palavra calendário derivou. Os juros das dívidas eram atualizados nas calendas.
2)   As Nonas - (Nonae) dependendo do mês, podiam ser o 5º ou o 7º dia; tradicionalmente o dia que correspondia à fase lunar de quarto crescente.
3)   Os Idos - (Idus) dependendo do mês, podiam ser o 13º ou o 15º dia; tradicionalmente o dia de lua cheia.
Nos seguintes meses as nonas ocorriam ao 5º dia e os idos ao 13º dia: Janeiro, fevereiro, abril, junho, agosto, setembro, novembro e dezembro. No entanto, nos  demais meses as nonas ocorriam ao 7º dia e os idos ao 15º dia: Março, maio, julho e outubro.
Além dos 365 dias normais do calendário, a cada três anos acrescentava-se um dia, o sexto dia antes de chegar às calendas de março era contado em dobro, daí o nome bissexto.
Porém, em 44, em homenagem ao ditador César, o senado transformou o mês de Quintilis para Iulius. Somente no ano 8 d. C, já sob o Império Romano, houve outra reforma no calendário. Primeiramente, esse imperador mudou o ano bissexto de três em três anos, para de quatro em quatro anos. Mudou também o Sextilis para Augustus. Como homenagem ao imperador, o senado passou o mês de Februarius de 29 para 28 dias e ampliou ao Augustus para 31 dias. O fato de fevereiro ser o menor mês do ano se deve a Numa Pompílio, que o colocou no final de seu ano. Ficou com os dias que lhe restaram. Depois, Júlio o colocou como segundo mês do ano, pois desejava que o Ianuarius, que trazia em si o conceito de começo, princípio, porta, fosse o primeiro mês do ano.
Calendário Juliano com as reformas:
2
Februarius
28 ou 29
No.
Mês
Dias
1
Ianuarius
31
3
Martius
31
4
Aprilis
30
5
Maius
31
6
Iunius
30
7
Iulius
31
8
Augustus
31
9
September
30
10
October
31
11
November
30
12
December
31

Os meses romanos foram agrupados em dias de tal forma que as Calendas eram os primeiros dias dos meses, os Idos eram os dias 13 dos meses curtos, ou os dias 15 dos meses longos, e as Nonas eram os nonos dias (contados inclusive) a partir dos Idos (ou seja, a partir do quinto ou sétimo dia do mês). Todos os outros dias do mês eram contados para trás (inclusive) a partir dessas três datas. Em ambos os meses longos e curtos (exceto fevereiro), havia 16 dias entre o Idos do mês e as Calendas do próximo mês, e a data a que se refere o nome do próximo mês, não a do mês que se está abordando; Assim, por exemplo, a data do dia 16 de março é o XVII  das Calendas de Abril.
Veja-se, primeiramente como exemplo, o mês de janeiro, que tem as nonas no dia 5:
1 DE JANEIRO – calendas de janeiro
2 DE JANEIRO – quarto dia para as nonas
3 DE JANEIRO – terceiro dia para as nonas
4 DE JANEIRO – primeiro dia para as nonas
5 DE JANEIRO – nonas
6 DE JANEIRO – oitavo
7 DE JANEIRO – sétimo dia para os idos;
8 DE JANEIRO – sexto dia para os idos;
9 DE JANEIRO – quinto dia para os idos;
10 DE JANEIRO – quarto dia para os idos;
11 DE JANEIRO – terceiro dia para os idos;
12 DE JANEIRO – primeiro dia para os idos;
13 DE JANEIRO – idos
14 DE JANEIRO – dezenove para as calendas de abril;
15 DE JANEIRO – dezoito para as calendas de abril;
16 DE JANEIRO – dezessete para as calendas de abril;
17 DE JANEIRO – dezesseis para as calendas de abril;
18 DE JANEIRO – quinze para as calendas de abril;
19 DE JANEIRO – catorze para as calendas de abril;
20 DE JANEIRO – treze para as calendas de abril;
21 DE JANEIRO – doze para as calendas de abril;
22 DE JANEIRO – onze para as calendas de abril;
23 DE JANEIRO – dez para as calendas de abril;
24 DE JANEIRO – nove para as calendas de abril;
25 DE JANEIRO – oito para as calendas de abril;
26 DE JANEIRO – sete para as calendas de abril;
27 DE JANEIRO – seis para as calendas de abril;
28 DE JANEIRO – cinco para as calendas de abril;
29 DE JANEIRO – quatro para as calendas de abril;
30 DE JANEIRO – três para as calendas de abril;
31 DE JANEIRO – primeiro para as calendas de abril;
1 DE FEVEFEIRO – calendas de fevereiro

Veja-se, agora, o calendário do mês de março, que tem as nonas no dia 7:
1 DE MARÇO – calendas de março;
2 DE MARÇO – sexto dia para as nonas;
3 DE MARÇO – quinto dia para as nonas;
4 DE MARÇO – quarto dia para as nonas;
5 DE MARÇO – terceiro dia para as nonas;
6 DE MARÇO – primeiro dia para as nonas;
7 DE MARÇO – nonas de março;
8 DE MARÇO – oitavo dia para os idos;
9 DE MARÇO – sétimo dia para os idos;
10 DE MARÇO – sexto dia para os idos;
11 DE MARÇO – quinto dia para os idos;
12 DE MARÇO – quarto dia para os idos;
13 DE MARÇO – terceiro dia para os idos;
14 DE MARÇO – primeiro dia para os idos;
15 DE MARÇO – idos de março;
16 DE MARÇO – décimo sétimo para as calendas de abril;
17 DE MARÇO – décimo sexto para as calendas de abril;
18 DE MARÇO – décimo quinto para as calendas de abril;
19 DE MARÇO – décimo quarto para as calendas de abril;
20 DE MARÇO – décimo terceiro para as calendas de abril;
21 DE MARÇO – décimo segundo para as calendas de abril;
22 DE MARÇO – décimo primeiro para as calendas de abril;
23 DE MARÇO – décimo para as calendas de abril;
24 DE MARÇO – nono para as calendas de abril;
25 DE MARÇO – oitavo para as calendas de abril;
26 DE MARÇO – sétimo para as calendas de abril;
27 DE MARÇO – sexto para as calendas de abril;
28 DE MARÇO – quinto para as calendas de abril;
29 DE MARÇO – quarto para as calendas de abril;
30 DE MARÇO – terceiro para as calendas de abril;
31 DE MARÇO – primeiro para as calendas de abril;
1 DE ABRIL – calendas de abril.

Os romanos tinham uma cultura muito ligada à religião e dedicavam os dias da semana às suas divindades. Assim formavam os dias:

Dies Solis (Dia consagrado ao deus Sol) - equivale ao domingo
Dies Lunae (Dia consagrado à deusa Lua) - equivale à segunda-feira
Dies Martis (Dia consagrado ao deus Marte) -  equivale à terça-feira
Dies Mercuri (Dia consagrado ao deus Mercúrio) - equivale à quarta-feira
Dies Iovis (Dia consagrado ao deus Júpiter) - equivale à quinta-feira
Dies Veneris (Dia consagrado à deusa Vênus) - equivale à sexta-feira
Dies Saturni (Dia consagrado à deusa Saturno) - equivale ao sábado

O Calendário Juliano é a base do nosso atual calendário. O Papa Gregório XIII, no renascimento, reelaborou o calendário para contemplar as festas móveis cristãs. Surgiu, então o Calendário Gregoriano. A Igreja Cristã Ortodoxa ainda se utiliza do Calendário Juliano.