segunda-feira, 13 de abril de 2015

PRESENÇA NEGRA NA LITERATURA FRANCESA

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara
Paineiras em Flor - Morro Redondo
abril de 2015
Escritores dos mais destacados romancistas franceses, os Dumas, Alexandre pai e filho, tinham ascendentes negros. O avô de Alexandre pai era marquês, sua avó, uma escrava negra, o pai, um grande general do exército francês. São inquestionáveis os traços físicos da raça negra manifestos em suas feições e cabelos.






General francêsThomas Alexandre Dumas








O avô de Alexandre pai apaixonou-se por uma escrava negra e tomou-a como concubina, pois era um rico marquês. Desse relacionamento, nasceu Thomas Alexandre Dumas, o primeiro general francês negro. Pela influência e riqueza do pai, foi promovido nas forças armadas francesas, chegando ao posto máximo da carreira.
Thomas Alexandre Dumas nasceu em Santo Domingo, no atual Haiti. Em seu tempo, a região era colônia francesa. Seu avô, o marquês Antoine-Alexandre Davy de la Pailleterie, fazia parte da nobreza francesa. Era proprietário de terras no atual Haiti. Lá conheceu uma bela escrava, Marie Louise, com a qual teve Thomas Alexandre, que, como afirmo anteriormente, seguiu a carreira militar, chegando ao posto de general.
Thomas casou-se com a filha de um estalajadeiro, Marie-Louise Elisabeth Labouret, de quem teve o filho Alexandre Dumas, que se tornaria famoso escritor, produzindo obras de projeção mundial como “Os Três Mosqueteiros”.
Alexandre Dumas pai










Em 1840, Alexandre Dumas, o pai, casou-se com a atriz Ida Ferrier, mas continuou seus affaires com diversas outras parceiras. De uma costureira, Marie-Catherine Labay, teve um menino, que também seguiria a carreira literária e seria conhecido como Alexandre Dumas Filho. Esse também manteria ainda os traços de negritude, especialmente em seus cabelos.
Alexandre Dumas filho


Foram dois eminentes escritores da literatura universal. 
O pai escreveu “O Conde de Monte Cristo”, “Os Irmãos Corsos”, “Os Romances de D’Artagnan”, “Os Três Mosqueteiros” e muitos outros. O filho, por seu lado, publicou, de modo especial, “A dama das Camélias”, e diversas outras. Essa presença de autores negros nas literaturas europeias é geralmente omitida, o que manifesta um racismo velado.