sexta-feira, 18 de setembro de 2015

PALÁCIO BELVEDERE, EM VIENA

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara


O Palácio de Belvedere (Schloss Belvedere), em Viena, foi residência de Verão do Príncipe Eugênio de Saboia, aclamado militar amplamente condecorado, graças às inúmeras e vitoriosas campanhas bélicas, por exemplo, nos Balcãs, quando repeliu a ameaça turca.
O palácio, que tem estilo barroco, foi vendido a Maria Teresa da Áustria pelos herdeiros do príncipe. Maria Teresa deu o nome ao lugar de Belvedere, que em italiano significa Bela Vista. Na parte onde fica a Casa dos Habsburgo, o palácio foi ampliado. Desde a Primeira Guerra Mundial, o Belvedere também é um museu (Österreichische Galerie Belvedere). O edifício sofreu danos durante a Segunda Guerra Mundial, mas foi reconstruído.
Dos jardins, que percorremos e admiramos, avista-se a Catedral de Santo Estêvão e os célebres Bosques de Viena, imortalizados nas partituras de Strauss. Aí, podem observar-se grandiosas figuras mitológicas de pedra, de uma anatomia estranhíssima. Aladas, corpo de felino, mas busto e face femininas. Diz a lenda que, quem tocar os seios das esfinges com a palma da mão bem aberta, regressa breve a Viena e é amplamente contemplado pela sorte.


 Jardins do Palácio Belvedere em Viena

 Palácio Belvedere - É um elegante e suntuoso prédio barroco construído pelo príncipe Eugénio de Saboia no 3° distrito de Viena, a sudeste do centro da cidade.
 

No Palácio Belvedere está uma das obras de arte mais famosas da Áustria: o quadro "O Beijo", do pintor Gustav Klimt.

 Os maravilhosos jardins foram desenhados por paisagistas franceses e, dentro dos palácios (o inferior e o superior), podemos ver obras de arte da idade média, do barroco e ainda pinturas dos séculos XIX e XX. A foto mostra a torre da Catedral de Santo Estevão, ou Stephansdom, vista dos jardins do Belvedere.






 Essas esfinges femininas de porcelana são contempladas em uma lenda segundo a qual, quem tocar os seios das esfinges com a palma da mão bem aberta, regressa breve a Viena contemplado pela sorte.