quinta-feira, 21 de abril de 2016

FLORES POÉTICAS – FLOR DO MARACUJÁ

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara
Flor-de-maracujá

Dentre as flores, uma das que mais me encanta é a flor do maracujá. Desde a mais tenra infância, criei-me entre as flores. Minha mãe cultivava um enorme jardim. Minhas tias todas também. Assim, aprendi a amar as flores.
A flor do maracujá, que conheci silvestre, possui um encanto e simbologia especiais. Além do mais, gera maracujás. Os silvestres, então, com suas sementes roxas, possuem um sabor especial, especialmente se colhidos pela manhã, antes do sol, ainda úmidos de orvalho. Consumidos nesse estado, entre os ramos emaranhados de toda espécie. Sem cuidados.
"O maracujá é originário da América tropical, que necessita de temperaturas elevadas e só se aclimata bem nas regiões temperadas.1 É uma trepadeira perene que floresce na primavera e dá seus frutos no início do verão. Suas flores lembram os instrumentos utilizados na crucificação de Cristo,daí ser reconhecida em outros idiomas por flor-da-paixão, e são de grande efeito ornamental.1 Seus frutos são ovoides amarelados e a polpa comestível, contém sementes rugosas, que servem para preparar bebidas refrescantes. É rica em vitamina C.1 Em 1867, os estudos de um investigador americano chamaram a atenção para a passiflora e demonstraram o seu grande interesse para a medicina como sedativo e antiespasmódico."

Nome científico: Passiflora edulis
Classificação científica

Reino: Plantae
Divisão: MagnoliophytaClasse: Magnoliopsida
Ordem: Malpighiales
Família: Passifloraceae
Gênero: Passiflora
Espécie: P. edulis


Composição química:
1 Alcaloides indólicos (0,03-0,1%): harmana, harmina, harmol, harmalina. Todos derivados da beta-carbonila. Flavonoides:vitexina, isvitexina, orientina, 0,55 g% de apigenina Glicosídeos cianogênicos Álcoois.


Óleo de Maracujá

O Óleo de Maracujá tem uma aplicação muito variada na indústria cosmética: cremes, xampus, loções, óleos, sabonetes, etc. O óleo também pode ser usado tanto na alimentação humana e animal, quanto na indústria de tintas, sabões, alimentos e outras.
Enquanto produto cosmético a base de óleo de maracujá, este auxilia na regeneração pós-peeling e ajuda amaciar e hidratar peles secas. Auxilia também na regeneração de peles com estrias e normaliza o conteúdo lipídico alterado.
Produtos a base do óleo do maracujá proporciona sensação relaxante e anti-estresse.
MARACUJAZEIRO FLORIDO
"O maracujá apresenta benefícios que ajudam no tratamento de diversas doenças, como ansiedade, depressão ou hiperatividade, e no tratamento de problemas de sono, nervosismo, agitação, pressão alta ou inquietação, por exemplo. Este pode ser usado na formulação de remédios caseiros, chás ou tinturas, e podem ser usadas as folhas, flores ou o fruto do maracujá.
Além disso, também pode ser usado para emagrecer e no combate ao envelhecimento, pois está repleto de antioxidantes como as vitaminas A e C, e apresenta propriedades diuréticas.
O maracujá é o fruto da planta medicinal cientificamente conhecida como Passiflora, uma trepadeira que é popularmente conhecida como flor da paixão."

Significado de Flor de Maracujá

A Flor de Maracujá significa a Paixão de Cristo, por isso, é também conhecida como “Flor da Paixão”.
Quando os missionários europeus chegaram à América, se encantaram com a exuberância da flor e associaram de imediato alguns dos seus elementos ao calvário de Cristo. Por esse motivo a flor de maracujá também significa "Coração Ferido".
A simbologia da flor de maracujá foi relacionada da seguinte forma: os três estigmas correspondiam aos três cravos que prenderam Cristo na cruz; as cinco anteras representavam as cinco chagas; as gavinhas eram os açoites usados para o martirizar; por fim, no formato da flor era visível a imagem da coroa de espinhos levada por Cristo para o ato de crucificação.
Os tons de roxo que colorem a flor simbolizam o sangue derramado por Jesus Cristo. Aliás, a cor roxa é usada nos rituais cristãos durante a Semana Santa. A história conta que no século XVII o Papa Paulo V ficou maravilhado quando recebeu flores de maracujá de presente e que ordenou que fossem cultivadas em Roma. As flores que tinham vindo da América do Sul, foram um sinal para o Papa que o Evangelho era também para ser espalhado no "Novo Mundo".
No simbolismo religioso, o formato redondo do fruto maracujá corresponde ao mundo de pecado que Cristo deu a sua vida para o salvar.
Em outras línguas, o maracujá é conhecido como o “fruto da paixão”:passion fruit (em Inglês), fruit de la passion (em Francês), fruta de la pasión (em Espanhol)...
O maracujá pertence ao gênero de plantas Passiflora. Em tupi-guarani, o termo “maracujá” significa “alimento dentro da cuia”. O Brasil é o maior produtor mundial de maracujá-amarelo, porque aqui esta planta encontra condições ideais para crescer, o que explica o fato de existirem no Brasil mais de 150 espécies conhecidas.
O perfume Hypnôse da Lancôme, bastante popular no mercado, apresenta o aroma de frutas cítricas, flor de maracujá, vetiver e baunilha.

A Flor do  Maracujá na Literatura

"A Flor do Maracujá"
Fagundes Varela

Pelas rosas, pelos lírios,
Pelas abelhas, sinhá,
Pelas notas mais chorosas
Do canto do sabiá,
Pelo cálice de angústias
Da flor do maracujá!

Pelo jasmim, pelo goivo,
Pelo agreste manacá,
Pelas gotas de sereno
Nas folhas do gravatá,
Pela coroa de espinhos
Da flor do maracujá!

Pelas tranças de mãe-d'água
Que junto da fonte está,
Pelos colibris que brincam
Nas alvas plumas do ubá,
Pelos cravos desenhados
Na flor do maracujá!

Pelas azuis borboletas
Que descem do Panamá,
Pelos tesouros ocultos
Nas minas do Sincorá,
Pelas chagas roxeadas
Da flor do maracujá!

Pelo mar, pelo deserto,
Pelas montanhas, sinhá!
Pelas florestas imensas,
Que falam de Jeová!
Pela lança ensanguentada
Da flor do maracujá!

Por tudo o que o céu revela,
Por tudo o que a terra dá
Eu te juro que minh’alma
De tua alma escrava está!...
Guarda contigo este emblema
Da flor do maracujá!

Não se enojem teus ouvidos
De tantas rimas em - á -
Mas ouve meus juramentos,
Meus cantos, ouve, sinhá!
Te peço pelos mistérios
Da flor do maracujá!
Autor: Fagundes Varela (1841-1875)