quarta-feira, 27 de abril de 2016

O DISCO VOADOR DO IRÃ


Engenheiro do IRÃ desenvolveu reator de plasma

Posted by Thoth3126 on 27/04/2016

O Engenheiro nuclear iraniano, Mehran Tavakoli Keshe, que entrevistamos ecobrimos aqui em nossas notícias por um par de anos, em uma declaração surpreendente afirmou ser criador da tecnologia de controle da gravidade a ser utilizada no artefato de vôo iraniano (uma espaçonave do tipo disco voador) – algo que ele já havia divulgado para nós no passado, antes do anúncio oficial da agência iraniana. Mehran Keshe é o diretor da Fundação Keshe

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Engenheiro do IRÃ declarou ter desenvolvido reator de PLASMA gerador de pulso eletromagnético e campo gravitacional, semelhante ao sistema utilizado em espaçonaves alienígenas.

Fonte: http://pesn.com/ – Também publicado em: http://truth11.com

Por Hank Mills da Pure Energy Systems News

O Engenheiro Nuclear, Mehran Tavakoli Keshe, se apresentou como sendo o desenvolvedor da tecnologia de reator de plasma que estaria sendo usada em um “disco voador” desenvolvido pelo IRÃ. Sua tecnologia reivindica aproveitar as leis do eletromagnetismo e da gravidade para permitir viagens ao longo do sistema solar e além. 

Quadricóptero

Ele afirma ter desenvolvido um reator especial de plasma que permite a manipulação de campos gravitacionais e eletromagnéticos para produzir movimento. Pedidos de múltiplas patentes foram depositadas para este reator, e os muitos detalhes dele são explicados no site da sua Fundação Keshe.

À esquerda imagem mostrada de Quadricóptero iraniano com comunicado de imprensa. O disco voador teve sua imagem mostrada na imprensa mais tarde.

Em 16 de março de 2011, a agência de notícias linha-dura iraniana Fars divulgou um comunicado à imprensa afirmando que o IRÃ desenvolveu um disco voador. O disco não tripulado chamado de “Zohal” (Saturno em língua Persa) é para ser equipado com um sistema de piloto automático, GPS, e um sistema de gravação de imagem.

Alega-se que a aeronave pode voar em espaços abertos e fechados (indoor) Inicialmente, o comunicado de imprensa inclui um estoque de fotos de um disco voador que era, obviamente, de um antigo filme de ficção. Esta imagem foi mais tarde substituída por uma do que parece ser um quadricóptero comum.

Um reator de plasma cilíndrico feito com tecnologia Keshe.

Tal imagem tenderia a indicar que não há nada muito exótico sobre o artefato voador. No entanto agora, o Engenheiro nuclear iraniano, Mehran Tavakoli Keshe, que temos entrevistado e coberto aqui em nossas notícias por um par de anos, veio à público e afirmou ser o criador da manipulação de tecnologia da gravidade a ser utilizada no artefato de vôo iraniano – algo que ele já havia divulgado para nós no passado, antes do anúncio oficial da agência iraniana. Mehran Keshe é o diretor da Fundação Keshe.

Ele afirma ter desenvolvido um reator especial de plasma que permite a manipulação de campos gravitacionais e eletromagnéticos para produzir movimento. Pedidos de múltiplas patentes foram depositadas para este reator, e os detalhes dele são explicados em muitos sites da sua Fundação Keshe. Importante, em uma recente entrevista com William Alec, da Vortex Network News , Keshe afirma especificamente que sua tecnologia foi incorporada no novo disco voador iraniano.

Ele também afirma ter dado a tecnologia para o governo iraniano desde há muitos anos em que está trabalhando ativamente com ela. Isto contradiz a ideia de que o disco é uma espécie de helicóptero multi-turbina.

Propulsão poderosa e acessível

Esta tecnologia parece boa demais para ser verdade. Alega-se que ela permitiria a criação tanto de um campo gravitacional e eletromagnético produzido em torno da aeronave que o utilizasse como sistema de propulsão. Os geradores capazes de criar campos gravitacionais e eletromagnéticos são usados para propulsão. Eles trabalham a favor ou contra (atração e retração) com os campos de outros corpos no espaço, tais como planetas, estrelas, ou até mesmo galáxias. Um dispositivo que pese entre 7-10 quilos é reivindicada a capacidade de geração de capacidade de muitas toneladas de poder de levitação da aeronave em que estiver instalada.

A força de elevação e empuxo é criada sem a necessidade de qualquer queima de combustível (motor a explosão por fissão como nos foguetes convencionais) de modo convencional. Estes dispositivos são muito baratos de se construir. Um pequeno reator tem custo de produção em torno de mil dólares em componentes. Os benefícios desta nova tecnologia são muito surpreendentes e resolveria muitos dos problemas e desafios encontrados em viagens espaciais (e na geração de energia). Para ser franco, parece reunir todas as melhores tecnologias da nave estelar ficcional Enterprise da série televisiva Star Trek.

Por exemplo, o campo eletromagnético produzido pelo reator especial de plasma protegeria os ocupantes da radiação cósmica, pois envolveria toda a espaçonave. Aparentemente, esse campo seria tão intenso que pequenas partículas de poeira que normalmente destruiriam uma nave espacial, são simplesmente desagregadas em nível atômico. Devido ao fato de o reator produzir seu próprio campo gravitacional, os ocupantes poderiam andar normalmente e experimentariam o mesmo nível de gravidade do que na Terra no interior da espaçonave.

PROJECT CAMELOT – KESHE AMEAÇADO DE MORTE – ENERGIA LIVRE



Isso evitaria a degradação óssea e muscular enfrentada quando ficamos (os corpos dos astronautas) expostos a longos períodos de gravidade zero. Além disso, os ocupantes não sentiriam os efeitos inerciais da aceleração e desaceleração súbita (exatamente como é testemunhado por pessoas que viram UFOs se deslocando nos céus da Terra). Se essa tecnologia realmente tiver sido desenvolvida poderia, de repente provocar um enorme salto para a frente na evolução da humanidade, se iniciaria uma nova era de exploração espacial do tipo visto na série Star Trek.

Esta tecnologia oferece não só a capacidade de se deslocar mais rápido do que viajar à velocidade da luz, mas proporcionaria viagens espaciais quase instantâneas. Teoricamente, uma nave poderia viajar para o sistema estelar mais próximo (estrela/sol Alpha Centauro, há 4,2 anos-luz de distância) em segundos! É claro que esta tecnologia também oferece benefícios no deslocamento dentro de uma atmosfera planetária. Uma embarcação utilizando esta tecnologia não iria entrar em contato (não haveria qualquer tipo de atrito) físico com a atmosfera planetária devido ao poderoso campo magnético ao redor da nave. Isso eliminaria o efeito de arrasto e evitaria os estrondos sônicos. Também se afirma que aeronaves com esse sistema de propulsão seria capaz de viajar debaixo d’água sem enfrentar qualquer resistência do meio líquido! ( fato que já foi testemunhado com UFOs sendo vistos se deslocando embaixo d’água, em diferentes pontos do planeta, em altas velocidades, entrando e saindo da água sem desaceleração). 

Tecnologia Mudaria a Teoria da Gravidade

A teoria por trás do reator especial de plasma e como ela produz essas forças gravitacional e eletromagnética é potencialmente revolucionária. O Dr. Mehran Keshe afirma que toda a matéria existente (incluindo prótons e elétrons) são compostos de anti-matéria, matéria escura e matéria normal. A gravidade é produzida pelo campo magnético desses vários tipos de matéria interagindo uns com os outros. Ao transformar a matéria em um quentíssimo plasma desses componentes diferentes podem ser desmembrados um do outro. Ao serem produzidos dessa forma, se pode permitir a criação de poderosos campos magnéticos e gravitacionais. Além disso, o mesmo processo pode ser usado para produzir uma fonte ilimitada de energia. Isto pode ser feito simplesmente adicionando bobinas especiais perto do plasma girando em altíssima temperatura e velocidade.


Seria muito fácil para os céticos não aceitar esta tecnologia como real, e apenas sendo mera fantasia, exceto pelo fato de que muitas reivindicações científicas específicas foram feitas. Aparentemente, o trabalho sobre o aspecto da tecnologia para propulsão de aeronaves está completo. Eles têm pequenas unidades (menos de 10 kg) que podem produzir efeito antigravitacional em veículos com toneladas de força de elevação. O primeiro protótipo produzido tinha tanta força de elevação que O Dr. Keshe teve que pular em cima dele para impedi-lo de voar muito alto para cima!

Esta nova tecnologia tem sido compartilhada com vários países além do IRÃ, incluindo EUA e a Rússia. A NASA e outras agências espaciais receberam todas as informações sobre essa nova tecnologia. Alega-se que a tecnologia agora estaria sendo ampliado, mas Keshe afirma que ele não pode falar sobre os detalhes. O objetivo da Fundação Keshe é abrir uma universidade em que estudantes de países de todo o mundo iriam passar seis anos aprendendo sobre ela, a construção de sistemas, sua utilização e voltar para seu país de origem para ensinar a outros cientistas. O desejo é de se certificar que todas as nações do planeta tenham acesso à essa nova tecnologia. Em 2015 a fundação também planeja ter uma espaçonave em tamanho real que permita que turistas da Terra possam visitar a lua.

Restam apenas três opções aqui. Ou o Dr. Keshe produziu uma tecnologia com avanço que tem o potencial de mudar o nosso mundo, ele é um mentiroso absoluto ou então ele está delirando. Não existe mais nada entre essas três possibilidades. Assuas alegações são verdadeiras ou não são. Toneladas de capacidade de elevação obtida de um dispositivo com dez quilos apenas não pode ser um erro de medição.



Assista o vídeo de 6 minutos em que a tecnologia é explicada. Para acionar as legendas clique no segundo balão (da esquerda para à direita-legendas ocultas) e escolha Português.

Além da tecnologia Star Trek

Agora por favor, deixem-me ser claro sobre a minha posição sobre a realidade desta tecnologia. Eu sinceramente espero que ele esteja dizendo a verdade. Além disso, eu não tenho nenhuma razão para acreditar que ele esteja mentindo. Mas a extensão simples deste avanço potencial é quase insondável e inacreditável. Esta tecnologia poderia superar qualquer obstáculo às viagens espaciais interestelares além de fornecer uma fonte ilimitada de energia. Se ele está dizendo a verdade, a nossa civilização em breve poderá avançar para além do século 24 ….. Não há praticamente nada no mundo da ficção da série Star Trek que dispõe desta tecnologia que não seja possível produzir:

– Velocidade de Dobra (Warp Drive FTL)? VERIFIQUE!

– Warp Core? VERIFIQUE!

– Escudo defletor/protetor (Shields)? VERIFIQUE!

– Gravidade Artificial? VERIFIQUE!

– Anulação da força de inércia? VERIFIQUE!

– Matriz Defletora? VERIFIQUE!

Conecção com Disco iraniano

A questão crítica que eu vejo é fazer a verificação de que essa tecnologia está sendo usada no artefato voador iraniano. Precisamos de algum tipo de referência oficial, declaração ou documento ligando diretamente a tecnologia para com a aeronave. Eu enviei pessoalmente algumas perguntas via e-mail para o Dr. Keshe, com uma lista de perguntas sobre a sua conexão com o objeto voador. As perguntas que eu fiz foram as seguintes, juntamente com as respostas que ele próprio forneceu ( em vermelho ) em 07 de abril de 2011 12:46:

1) Eu acredito que eu ouvi você dizer em uma entrevista recente, há um vídeo de seu reator produzindo força de elevação, mas não foi tornado público. Quando você acha que poderia ser tornado público?

R: Esta é uma decisão do governo iraniano.

2) Existe alguma referência que você pode oferecer que iria ligar diretamente a sua tecnologia com a tecnologia usada no disco voador do Irã?

R: Temos publicado sobre isso por dois anos e acabo de regressar do IRÃ em janeiro para a visita de sete dias, o que tem sido documentado em meu fórum. E nós dissemos que o IRÃ irá mostrar a tecnologia espacial em seu próprio tempo, pergunte aos representantes do governo canadense que tomaram de mim (À força) todos os meus documentos em Toronto durante um vôo seqüestrando-os, eles dizem quem e onde eu estava desenvolvendo o projeto no IRÃ. http://www. keshefoundation.com / phpbb / viewtopic.php? f = 2 & t = 249

UFO e seu reator de fusão de plasma, fotografado em Cerro Gordo, EUA, em 2006

3) Você já viu pessoalmente o disco voador do Irã? Se sim, onde e em que circunstância?

R: Eu construí o sistema inicial de propulsão, o elevador e o testei para eles 2,5 anos atrás, no IRÃ. O país até então estava produzindo foguetes e nunca conversaram sobre o programa espacial. 

4) Você supervisionou a concepção, construção e testes do disco? Se não, quem o fez e como podemos entrar em contato com eles?

5) Você pode descrever as características físicas e o desempenho do disco voador do IRÃ? Por exemplo – Que elemento ele usa para produzir plasma? 

De elementos básicos

– Qual o seu tamanho?

– Quanto de força de elevação ele poderia produzir?

Isso não é relevante em sistemas de posicionamento Magravs 

– Qual é o limite de alcance?

Para qualquer destino, estes sistemas antigravitacionais não têm limitações como um sistema comum de propulsão (que consuma combustível).

– Qual a sua máxima velocidade?

Pode ser de milhares de vezes a velocidade do som na condição de vôo no espaço. 

– É facilmente escalável para um tamanho maior?

A escala/tamanho é dependente da sua força de campo. 

– Pode viajar para além da órbita da Terra ?


– Com o que se parece? 

Com um disco.

6) Você tem alguma foto do Disco Voador? Você estaria disposto a compartilhar tal imagem a ser apresentado na PESN?

7) Existe mais alguma informação adicional sobre o disco do IRÃ que você possa fornecer?

Assista a liberação do espaço aéreo iraniano. Eu reconheço como o primeiro pouso em exibição na Terra será em Jerusalém como já expliquei antes e se você entender a linguagem política (n.t. e o fanatismo religioso) do Oriente Médio… 

Por Hank Mills Pure Energy Systems News. Esta história também esta publicada em BeforeItsNews – Publicado em Março de 2014.

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e cite as fontes.
thoth(172x226)