segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

1947 - ANO EM QUE SE ESTABELECEU A NOVA ORDEM MUNDIAL


O ano que mudou tudo, 1947, sete de julho, 71 anos depois
Posted by Thoth3126 on 19/02/2018

O ano de 1947: Este foi um ano de infâmia em termos da agenda da Nova Ordem Mundial. 1947 foi o momento em que ocorreram vários eventos profundos: o nascimento do horrível Complexo Industrial Militar, conglomerado de empresas gigantes da área aeroespacial, a provável continuação do regime nazista (o Quarto Reich, agora DENTRO dos EUA) e certamente a visita de extraterrestres (Greys) e seu contato formal com membros do governo dos EUA e a posterior criação de vários mecanismos de governo para manter tudo em segredo. 
Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch
O ano que mudou tudo, 1947, sete de julho, 71 anos depois

À medida que o ano de 2017 chegou ao fim e encerramos o ano 70 desde o distante ano de 1947, vale a pena voltar atrás nesse ano importante e analisar alguns dos eventos que aconteceram, e que ainda têm um efeito enorme e profundo em nosso mundo atual.


Justo quando você pensou que era seguro voltar para a água … não, não estou me referindo ao filme Jaws, mas sim a expedição militar à Antártida conjunta dos EUA-Reino Unido-Austrália liderada pelo Almirante Richard E. Byrd em janeiro e fevereiro de 1947. Ele pensou que seria seguro ir até a Antártida, mas ele foi dominado e bateu um retirada apressada. Byrd liderou cerca de 4.700 soldados em uma invasão da Antártida, mas suas forças encontraram resistência pesada de “discos voadores” ao seu empreendimento antártico.

A missão que deveria demorar muitos meses terminou abruptamente após apenas 8 semanas quando ficou claro a inferioridade das forças militares para fazer frente ao inesperado poder do armamento do inimigo (nazistas dissidentes)! Alguns especularam que Byrd se defrontou com extraterrestres. No entanto, considerando todas as informações que temos sobre os nazistas, talvez seja mais provável que ele tenha encontrado dissidentes nazistas que haviam desenvolvido (com ajuda de alienígenas) uma frota de espaçonaves do tipo “UFO”, discos voadores. Byrd estaria perseguindo os nazistas e procurando desalojá-los de suas bases na Antártida e no extremo sul do continente sul americano?


Este é um trecho de um relatório em um jornal local chileno El Mercurio publicado numa quarta-feira, no dia 5 de março de 1947:
“O almirante Richard E. Byrd advertiu hoje que os Estados Unidos devem adotar medidas de proteção contra a possibilidade de uma invasão do país por aeronaves hostis provenientes das regiões polares. O almirante explicou que não estava tentando assustar ninguém, mas a realidade cruel é que no caso de uma nova guerra, os Estados Unidos poderiam ser atacados por aeronaves que voariam desde um ou ambos os pólos da Terra”.

É assim que Byrd declarou em testemunho perante o Congresso dos EUA:
“No caso de uma nova guerra, os EUA seriam atacados por aeronaves capazes de voar de um pólo ao outro com uma velocidade incrível”.
Os interessados ​​em ler mais podem gostar de aprofundar Genesis for the New Space Age por John Leith.
A Operação Highjump em 1947: o que Admiral Byrd encontrou na região do polo sul? Nazistas? ETs? Ou ambos? 
Julho de 1947: o incidente UFO de Roswell
O tema dos discos voadores, UFOs e espaçonaves com sistema de propulsão antigravidade, e se eram de origem terrestre (alemã nazista) ou extraterrestre, foi trazido à tona em 1947 com o agora famoso e controverso incidente de Roswell, ou Roswell crash. Em 7 de julho de 1947, pelo menos um (mas talvez mais 2 ou 3) UFOs teriam caído na pequena cidade de Aztec na região de Roswell, no estado do Novo México, EUA. 


Os militares lançaram uma falsa história de cobertura de que o incidente havia sido um balão meteorológico que caiu. Em 1978, o especialista em UFO Stanton Friedman entrevistou o Major Jesse Marcel, que estava envolvido com a recuperação original dos detritos. Marcel afirmou que os militares haviam encoberto a recuperação de uma nave espacial alienígena, bem como corpos de alienígenas mortos no acidente e aliens ainda vivos. 
O oficial militar aposentado Chuck Wade compilou laboriosamente evidências convincentes de múltiplos UFOs acidentados nessa área do Novo México (houve outro incidente na vizinha região de Aztec). Ele acreditava que não foi apenas 1 OVNI que caiu no acidente de Roswell, mas sim que houve vários locais em que houve múltiplos acidentes com quedas de espaçonaves alienígenas!
Existem relatos de tribos nativas peles vermelhas de terem entrado em contato e de até mesmo terem ajudado alguns extraterrestres sobreviventes destes acidentes registrados naquela época. A história mais notável pode ser lido acessando o seguinte link:
O coronel Philip J. Corso. foi uma pessoa que mais tarde ficou muito próxima da situação, uma vez que foi colocado no comando do projeto de fazer engenharia reversa da tecnologia alien extraterrestre das espaçonaves resgatadas de acidentes a partir de 1947 em Roswell e depois. Ele sabia sobre a realidade da avançada tecnologia extraterrestre. Após o incidente de Roswell, Corso foi encarregado de descobrir o que fazer com ela. 
Ele afirma que vários cientistas nazistas (via Project Paperclip) trabalharam para e com ele, que o Majestic 12 (veja abaixo) informou-o (e ele informou então o presidente Eisenhower), e que o presidente Reagan o consultou com frequência. Ele também afirma que os humanos não podem entrar no espaço profundo biologicamente, e que a NASA sabe disso; que ele foi contactado por pelo menos 2 grupos ET por telepatia; que a Guerra Fria era principalmente uma guerra de OVNIs, com a Rússia / EUA alinhados contra alguns grupos de ETs; que o trabalho de encobrimento da queda e resgate do UFO de Roswell é também uma cobertura da capacidade alienígena de viagem do tempo; e que haverá uma cápsula do tempo aberta em Roswell em 2047, exatos cem anos após o incidente em 1947.

Claro, tem havido muita especulação e teorização sobre o que realmente aconteceu em Roswell naquele dia fatídico de julho de 1947. Alguns, como o coronel Corso, acreditam que o pedaço mais importante do quebra-cabeça foi os militares tentando encobrir a possibilidade de viagens no tempo, e até mesmo que os pilotos e passageiros dessas espaçonaves extraterrestres não eram necessariamente ETs Greys, mas sim seres humanos vindos de um nosso distante e provável futuro. 
Alien Interview Part 1 | Segredos do Universo Revelados | Projeto Livro Azul:



Alien Interview Part 2 | Segredos do Universo Revelados | Projeto Livro Azul:

Outra teoria é descrita na incrível história contada por Matilda O’Donnell MacElroy(por exemplo, como se encontra no livro “Alien Interview“ por Lawrence Spencer), uma oficial do exército (enfermeira) que foi supostamente conduzida para se comunicar com um extraterrestre Grey sobrevivente das espaçonaves acidentadas. A seguir links para a tradução dos cinco primeiros capítulos, material muito interessante:

Ela revela sua conversa com um alienígena, que se chamava Airl, que era assexuado, parecia um típico alienígena GREY e se comunicava com ela através da telepatia, após o exército descobrir que ela foi o único ser humano na base a ter habilidade telepática e que parece ter sido escolhida pelo próprio alienígena Grey preso pelos militares. 

O Seu corpo não era exatamente biológico ou mecânico como se verificou mais tarde. Parecia que sua nave espacial e seu corpo/mente estavam conectados diretamente a ele através de algum tipo de “sistema nervoso” elétrico (Sistema SIMBIÓTICO) através do qual ele controlava a espaçonave com seus pensamentos e sua vontade.


O incidente de Roswell de 1947: o (s) UFO (s) atingido (s) tinham alienígenas Greys como seus ocupantes? 
Em 1947: Truman assina a Lei de Segurança Nacional

De uma maneira ou de outra, a Operação Highjump e o incidente de Roswell devem ter tido um enorme impacto psicológico sobre Truman, membros do seu governo e da Cabala (Deep State) já controladora dos Estados Unidos, porque no final desse ano, Truman assinou legislação que deu origem ao que se tornaria um monstro doméstico e internacional: o US MIC (Complexo Industrial Militar dos EUA). 

A Lei de Segurança Nacional entrou em vigor em 18 de setembro de 1947 e reorganizou as agências de defesa e inteligência dos EUA. A Lei e suas subsequentes reformas reestruturaram toda a Comunidade de Inteligência, reorganizaram o Departamento de Defesa (DoD), estabeleceram o NSC (Conselho de Segurança Nacional), estabeleceram a CIA (Agência Central de Inteligência) (veja abaixo), dividiram o Departamento de Guerra no Departamento do Exército e o Departamento da Força Aérea (a força aérea americana fazia parte do exército até então), estabeleceu o NME (National Military Establishment), estabeleceu o cargo de DNI (Diretor de Inteligência Nacional), que é o diretor de toda a Comunidade de Inteligência (hoje um monstro com dezessete agências) e o principal assessor do presidente. 

Foi posteriormente modificado em 1949 para consolidar e centralizar o controle das forças armadas criando os Secretários do Exército (SA ou SECARMY), Marinha (SECNAV) e Força Aérea (SECAF, ou SAF/OS)

Em 1947, ao no da Lei de Segurança Nacional e da criação da CIA. O que antes era um servo tornou-se um mestre vicioso. 

Em 1947: Formação da CIA, a Agência de Inteligência mais devastadora e destrutiva na História Mundial

Conforme mencionado acima, com a assinatura da Lei de Segurança Nacional, a CIA surgiu em 18 de setembro de 1947, decorrente das cinzas do precursor do OSS (Office of Strategic Services, criado com base no serviço de inteligência Nazista). O OSS, dirigido por “Wild” Bill Donovan, foi uma agência de inteligência durante a Segunda Guerra Mundial, que se dedicou a espionagem, propaganda, subversão e planejamento pós-guerra.

É difícil resumir com precisão quão nefasto, moralmente falido, perverso e assassino, a CIA surgiu desde o início de 1947. A “agência” rapidamente se tornou uma agência fora de controle, tanto assim que, quando Kennedy assumiu o cargo no início de 1961, Eisenhower já estava advertindo que ele deveria ter cuidado com a CIA e com o Complexo Industrial Militar inteiro. JFK foi a última pessoa a desafiar seriamente a agência, e não é por acaso que ele acabou morto apenas alguns anos depois (para detalhes sobre como a CIA estava envolvida centralmente em seu assassinato, veja minha série sobre o assassinato de JFK ).

A CIA é a “Companhia”, responsável por incontáveis ​​assassinatos e casos de tráfico de armas e drogas. Ex-agentes da CIA, como Victor Marchetti, que trabalharam lá, falam sobre a CIA como um Culto da Inteligência, como o ex-chefe da CIA, William Colby, que disse:

“Eles se juntaram, formando uma fraternidade selada … eles desenvolveram uma visão bastante desviada desse mundo … eles olharam para a vida do resto da cidadania … uma visão de inteligência ileso, distorcida e que se manteve assim… além de qualquer restrições da Constituição dos EUA” (de fato um poder paralelo e integrante do DEEP STATE).

A CIA espia, implacavelmente e de forma invasiva, em todos os americanos e MUITO além. O Wikileaks publicou os documentos da CIA do Vault 7 (o maior vazamento na história da CIA), que foram uma coleção chocante e condenatória de provas documentais, provando que a CIA acessa todos os dispositivos eletrônicos dos EUA (telefones, computadores, TVs inteligentes, câmaras públicas e privadas, etc…) para ouvir conversas em qualquer lugar do MUNDO. 


O Vault 7 também provou que a CIA persegue e controla veículos com mídia embarcada para controlá-los remotamente, e até para realizar assassinatos indetectáveis, ao assumir remotamente o controle do veículo de algum alvo. 

As principais atividades da CIA (além de fazer o trabalho que deveria fazer, ou seja, reunir inteligência estrangeira para ajudar a defender os EUA) suas atividades podem ser reduzidas a estas 5 coisas:
operação e controle mundial do tráfico de armas / drogas,
controle mental,
infiltração / assassinatos,
subversão / propaganda, e
criação, armamento, financiamento e treinamento de “terroristas”(mercenários contratados pela própria agência para derrubar governos indesejáveis). 


Vamos dar uma breve olhada em cada um desses tópicos. A CIA, é uma Cocaine Import Agency, e vem sendo uma droga para todo o mundo desde 1947.
Controle do tráfico de armas e drogas

Armas e drogas foram o pilar da CIA desde o início de 1947. A Casa Branca sempre tolerou as operações, pois permitiu à CIA arrecadar fundos para as atividades “extracurriculares” e “extrajudiciais” (assassinato, subversão, intromissão estrangeira, etc.) cujos gastos são financiados com dinheiro do controle das drogas. Quer se trate de cocaína da América do Sul ou heroína dos campos de papoula do Afeganistão e do Triângulo Dourado (Vietnã e outras áreas do SE da Ásia), a CIA é principal controlador do tráfico de drogas mundial. 

O ex-investigador de narcóticos Mike Ruppert foi forçado a sair do LAPD em 1977, quando expôs evidências de tráfico de drogas pela CIA. Muitos ex-agentes da CIA “assopraram o apito” sobre o controle do tráfico das drogas da CIA. Por exemplo, Chip Tatum, que trabalhou na Black Operations, esteve envolvido no comércio de tráfico de drogas entre os EUA e países da América Central. 

Ele pessoalmente voou um avião com carga que, mais tarde descobriu, era pura cocaína. Tatum foi ameaçado para não falar, mas apesar disso ele expôs os detalhes lúgubres do anel de contrabando de cocaína com base em Mena no Arkansas, o envolvimento de Bill Clinton e como George HW Bush teria assassinado Barry Seal e Manuel Noriega do Panamá. Los Angeles foi escolhido como o ponto de distribuição para inundar as ruas americanas com crack e cocaína.

Muito mais recentemente, a Aliança pela libertação da Terra tem lutado ao exibir uma série de filmes que revelam elementos críticos da verdade. O mais recente filme da Aliança para revelar e assustar o Deep State é American Made, protagonizado por Tom Cruise. American Made acaba de sair na semana passada no streaming de vídeo para compra e estará disponível para alugar a partir de 2 de janeiro.O filme expõe abertamente, ao contar uma história real, o tráfico de drogas controlado e levado a cabo pela CIA, com o envolvimento de Bill Clinton.

O precursor da CIA (o OSS) começou a investigar o uso de substâncias que alteram a mente como mescalina, escopolamina e maconha já nos idos de 1940. Em seguida, passou a experimentar com psilocibina (de cogumelos mágicos) e ácido lisérgico dietilamida (LSD). A CIA também esteve por trás da introdução do LSD ao público americano na década de 1960, em parte como um experimento gigante, em parte como uma ramificação de seus programas de controle mental MK-Ultra e em parte para enfraquecer completamente a psique da população em geral, especialmente os mais pobres.

O controle do tráfico de armas da CIA também tem sido um tema consistente através da história da agência, incluindo o caso Irã Contras ou mesmo Benghazi em 2012, quando a CIA estava usando uma representação diplomática (embaixada) americana na Líbia para vender armas para “moderar” os rebeldes sírios tentando desestabilizar o governo legitimamente eleito de Bashar Al Assad.
Projeto de Controle mental

A CIA foi pioneira no controle mental invasivo. Na década de 1940, absorveu criminosos de guerra nazistas na sua estrutura através da Operação Paperclip. Em seguida, realizou operações como Project Bluebird e Project Artichoke. Artichoke tornou-se o Projeto MK-ULTRA em 13 de abril de 1953. O “MK” representava o controle mental usando a palavra alemã (kontrolle) em deferência aos cientistas nazistas da CIA que criaram e ajudaram a desenvolver o programa. (uma das principais “vítimas” desde projeto de programa mental foi a satanista e atriz Marilyn Monroe)

O agente da CIA, Richard Helms, escolheu o Dr. Sidney Gottlieb para executar o TSS (Technical Service Staff) para desenvolver o que se tornou o infame programa MKUltra, com verdadeiras drogas químicas e técnicas hipnóticas. Algumas das técnicas envolvem trauma profundo para fazer a vítima se desassociar (dividir) em múltiplas personalidades (altares). A CIA matou o cientista de guerra biológica Frank Olson, usando drogas e produtos químicos para produzir estados alterados e vulneráveis ​​em assuntos – que eles poderiam se importar com vários propósitos de controle.
Assassinato – JFK, o exemplo mais famoso das operações de assassinato da CIA. 

A CIA tornou-se sinônimo de derrubada de regimes e instalação (e manipulação) de governos fantoches estrangeiros e assassinatos – e a lista é muito longa para explicar tudo, mas inclui Irã 1953, Guatemala 1954, Vietnã 1954-58, Hungria 1956, Laos 1957-1973, Haiti 1959, Cuba 1961, Equador 1963, Brasil 1964, Indonésia 1965, Grécia 1967, Bolívia 1968, Uruguai 1969, Camboja 1970, Chile 1973, Austrália 1975, Afeganistão 1979, El Salvador 1980, Nicarágua 1981, Panamá 1980 e mais aos exemplos modernos de Líbia 2011, Síria 2011 e Ucrânia 2014.

Além disso, no final da década de 1950, o presidente Eisenhower e seu vice Richard Nixon criaram uma equipe de assassinos super secreta, composta por cerca de 40 agentes da elite da CIA. A operação 40 como ficou conhecida esteve por trás de muitos dos mais famosos assassinatos de alto perfil das últimas 6 décadas, incluindo JFK , MLK, RFK, John Lennon, Che Guervera, Bob Marley e muitos outros mais. Este modelo de assassinato ainda é usado hoje, realizado contra cidadãos inocentes e pacíficos.

A CIA teve uma mão na infame Operação Gladio, uma força militar “secreta-infiltrada” da OTAN na Europa que estava prestes a parar a propagação do comunismo pelo continente. Os atentados falsos da bandeira falsa foram realizados por agentes da Gladio, que bombardearam locais como estações de trem e faziam parecer que os comunistas de extrema esquerda da Itália eram os vilões.

William Blum descreve as atividades assassinas da CIA como um Holocausto americano :

“Este cenário tem sido repetido tantas vezes que a CIA realmente o ensina em uma escola especial, a notória” Escola das Américas “. (Ela abriu no Panamá, mas depois se mudou para Fort Benning, na Geórgia.) Os críticos a apelidaram de “Escola de Ditadores” e “Escola dos Assassinos”. Aqui, a CIA treina oficiais militares da América Latina sobre como realizar golpes de Estado, incluindo o uso de interrogatório, tortura e assassinato. A Associação para Dispensação Responsável estima que, em 1987, 6 milhões de pessoas morreram como resultado de operações secretas da CIA pelo planeta. O ex-funcionário do Departamento de Estado, William Blum, chama corretamente isso de “O Holocausto americano”. 
Subversão / Propaganda

A CIA tornou-se um mestre em subversão e propaganda, tanto dentro como fora dos EUA. Assumiu o controle da Mídia Mainstream (MSM) nos anos 1960 e 1970 com a Operação Mockingbird, um projeto agora desclassificado pelo qual a CIA se infiltrou na mídia principal e teve suas peças inseridas em TV, jornais e revistas por todos os meios como “notícias” quando não eram mais do que mentiras e pura propaganda. O recentemente morto jornalista alemão Ufo Ulfkotte admitiu que muitos jornalistas europeus estavam na folha de pagamento da CIA, e desde então a CIA lançou sua primeira estação de propaganda européia, a Radio Free Europe, em 1949.

RT.com entrevista jornalista alemão insider e denunciante Udo Ulfkotte – 29 de setembro de 2014, morto em 2017.



O oficial de caso Ex-CIA, Philip Agee, trabalhou na CIA durante a década de 1950 e finalmente saiu em 1968. Ele conheceu em primeira mão as atividades subversivas da CIA e o terrorismo na América Central e do Sul. Ele se tornou um insider denunciante e autor de vários livros que expõem a agência. Quando os EUA revogaram seu passaporte em 1979, ele morreu pela primeira vez em Grenada em 1980 até que o Bispo foi derrubado pelos EUA, depois na Nicarágua até 1990, quando os sandanistas foram derrubados pelos EUA, depois por Alemanha e Cuba.

A CIA criou o CCF (Congresso para a Liberdade Cultural) em 1950 para combater a influência soviética. O CCF foi a arma escondida no arsenal da Guerra Fria dos EUA. Se eles gostaram ou não, se eles o sabiam ou não, havia poucos cientistas, escritores e historiadores na Europa e na América, cujos nomes não estavam de alguma forma relacionados a essa empresa encoberta. O US Establishment operou um sofisticado programa de espionagem em nome da liberdade de expressão. Todas essas coisas (incluindo música e arte) que você pensava serem apenas espontâneas eram parte de uma agenda oculta.
Radicais islâmicos radicais ou terroristas radicais da CIAslamic? – Criação, armamento, financiamento e treinamento de “terroristas” (mercenários à serviço da CIA e seus interesses)

A CIA há muito tempo criou exércitos de mercenários para fazer seu trabalho sujo. Para uma história mais completa da longa e estreita relação entre a CIA e a fabricação do terrorismo islâmico, veja meu artigo Radical Islamic Terrorists: The Best Bad Guys Money Can Buy

Se eles são chamados de Mujahideen, Al Qaeda (“o banco de dados”), FSA (Exército Sírio Gratuito) ou ISIS, a CIA os criou, os armou, os financiou e os treinou. A CIA treinou Osama Bin Laden nos anos 80 e o governo dos EUA permitiu que uma rede islâmica fundamentalista se desenvolvesse na América antes de 2001. Bin Laden e Al Qaeda foram os bogeymen convenientes após o ataque da bandeira falsa no 11 de setembro às torres gêmeas do WTC em N. York (o maior ataque de “Bandeira Falsa” de todos os tempos). Aqui está uma lista das 10 principais conexões entre os EUA e o ISIS.

Mesmo isso não descreve completamente a extensão dos crimes da CIA, pois a agência também esteve envolvida em várias agendas da NWO, como a geoengenharia. A cia aérea Evergreen foi / é uma empresa de frente da CIA usada para disseminar chemtrails.
Em 1947: A Formação do Grupo Majestic-12

Sobre o que alguns pesquisadores afirmam ser em 24 de setembro de 1947 (embora haja falta de clareza sobre a data exata), aconteceu outro evento extremamente significativo. Truman criou um grupo governamental secreto que nunca antes havia existido, que foi deliberadamente criado para estar acima e além da lei. Conhecido como Majic-12, Majestic-12 ou MJ 12 / MJ-12 , foi um grupo extremamente secreto que foi encarregado de proteger o conhecimento da realidade da presença extraterrestre na Terra e o contato do governo e militares dos EUA. Era tão disfarçado que o Congresso nunca soubesse de sua existência, muito menos foi habilitado a sujeitá-lo a supervisão ou responsabilidade do próprio legislativo dos EUA. O grupo atuava (e ATUA) À MARGEM DA lei.


Os pesquisadores do tópico UFO Robert (Bob) Wood e seu filho, Ryan Wood, reuniram o site MajesticDocuments.com que contém uma coleção de supostos documentos oficiais criados pelo grupo MJ-12 ao longo das últimas décadas. Eles classificam cada um em sua escala de autenticidade. Em um desses documentos MJ-12 , Truman escreveu para então o Secretário de Defesa Forrestal:

“… você está autorizado a proceder com toda a velocidade e cautela em relação ao seu empreendimento. A seguir, este assunto deve ser referido apenas como Operação Majestic Twelve … quaisquer considerações futuras relativas à disposição final deste assunto devem permanecer unicamente com o Escritório do Presidente na sequência de uma discussão apropriada com você, Dr. Vannevar Bush e o Diretor da CIA”. (documento em imagem abaixo)


MAJESTIC- 12 certamente, em um ponto, poderia ter sido considerado a organização mais poderosa da Terra, no sentido de que eles estavam encarregados de lidar com o assunto alienígena, uma questão vital que mudaria a vida planetária se vazasse e que ninguém mais podia saber a seu respeito. Desconhece-se exatamente em que forma o Majestic-12 existe hoje. 

Em 1947: UM ANO DE INFÂMIA

O ano de 1947 realmente foi um ano incrível e terrível, com tantos incidentes acontecendo e grupos criados, que mudou o curso do futuro da humanidade. mais de 70 anos depois, ainda somos moldados pelo que aconteceu nesse ano fatídico. 


Nós estamos apenas à beira de descobrir, coletivamente, a realidade chocante de uma civilização separada, de um Programa Espacial Secreto (veja William Tompkins e outros denunciantes para mais detalhes), que foi desenvolvido atrás de nossas costas e com os nossos recursos.

A diferença é que agora a verdade começou a vazar, e há uma massa crítica de pessoas preparadas para investigar essas ocorrências e enfrentar suas implicações. O MJ-12 foi criado em uma era em que as autoridades estavam aterrorizadas ao compartilhar a verdade na existencia de extraterrestres muito mais avançados tecnologicamente na crença de que isso causaria convulsões e caos sociais. 

Agora, as coisas mudaram; se os nossos chamados “governantes” não puderem nos revelar a verdade para nós, nós os ignoraremos, descobriremos de qualquer maneira e continuamos no curso de torná-los irrelevantes. Uma humanidade mais evoluída e consciente não precisará mais de governantes, especialmente de marionetes com interesses escusos. 


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE)

“A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. 


Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …” 

Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.