segunda-feira, 31 de outubro de 2016

POEMA DIANTE DE UMA LARANJA

Oscar Luiz Brisolara

Devoro uma imensidão de sonhos,
ao consumir uma laranja...
O plantio... desassossegos...
As diligências e cuidados do crescimento...
Ah, as formigas...
Esperas... noites... dias... anos sem conta...
O verde brilhoso das folhas...
Pro fim, o colorido alegre dos frutos em abundância...
Caem-me na alma os sonhos dessas longas jornadas...
Sorrindo, trôpego, entrega os pomos dourados...
Desilusão...