quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A MAIOR ONDA DO ATLÂNTICO QUE SE TEM REGISTRO


Oceano Atlântico: maior onda da história já registrada, quase 20 metros
Posted by Thoth3126 on 16/08/2017

Mesmo sem a ocorrência de grandes terremotos no leito do oceano o fenômeno da formação de ondas gigantes pode surpreender moradores (INCONSCIENTES) das regiões costeiras sem nenhum aviso.
Com altura de um prédio de 6 andares, a maior onda da história foi registrada no Oceano Atlântico. “É a primeira vez que se mede uma onda de 19 metros. Trata-se de um recorde notável”, disse o subsecretário-geral da OMM, Zhang Wenjian.
Edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Onda gigante, com altura de 19 metros (prédio de 6 andares), a maior onda da história é registrada no Atlântico Norte

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) reconheceu oficialmente que aquela onda, com 19 metros de altura, foi a maior já registrada em todo o mundo. A onda mais alta da história foi registrada por uma boia no Atlântico Norte. Com 19 metros de altura, ela surgiu entre a Islândia e o Reino Unido, na costa das Ilhas Hébridas Exteriores, também conhecidas como Ilhas Ocidentais, situadas no noroeste da Escócia.

Por condições meteorológicas específicas, o Atlântico Norte tende a registrar as maiores ondas do mundo.

O fenômeno se formou depois da chegada de uma forte frente fria, com ventos de mais de 80 quilômetros por hora, no dia 4 de fevereiro de 2013. É, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), um novo recorde para uma onda oceânica.

Um comitê de especialistas da OMM – que é um organismo das Nações Unidas – ratificou esse novo recorde somente agora. A marca anterior era de uma onda de 18,275 metros de altura registrada em dezembro de 2007, também no Atlântico Norte.

“É a primeira vez que se mede uma onda de 19 metros. Trata-se de um recorde notável”, disse o subsecretário-geral da OMM, Zhang Wenjian.

Não seria, porém, a maior onda do mundo. Em 2002, um navio avistou uma onda de 29 metros no mesmo oceano. Mas não houve medições ratificadas pela organização. A altura de uma onda é medida da sua crista até a base da que a sucede.

Sistema de boias

A boia que fez o registro é parte da rede de Estações Meteorológicas Marinhas Automáticas, do UK Met Office – o Escritório de Meteorologia do Reino Unido. Chamada de K5, essa boia fica na costa das ilhas Hébridas Exteriores. Esse tipo de equipamento complementa as medições feitas por navios e satélites que monitoram as previsões meteorológicas em alto-mar.

As ondas gigantes frequentemente ocorrem no Atlântico Norte, cujas águas se estendem da costa do Canadá ao sul da Islândia e ao oeste do Reino Unido.


De acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM), no inverno a circulação dos ventos e os sistemas de baixa pressão atmosférica causam tempestades ou ciclones extratropicais. O fenômeno contribui para o equilíbrio térmico das regiões equatoriais e das regiões polares.

{NOTA de Thoth: Publico aqui um comentário feito em uma de nossas postagens sobre eventos envolvendo fenômenos no Oceano:


“Cadê A Rede Globo para esclarecer este fato verdadeiro a toda população! Acorda rede Globo….”

“Esperar” que um veículo da grande mídia de massa (instrumento eficaz do sistema de imbecilização coletivo) informe algo de realmente ÚTIL é INÚTIL, com o perdão do trocadilho …}

“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se aproxima RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. 


Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes.
Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol) que fará importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI


Muito mais informações, LEITURA ADICIONAL:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.