segunda-feira, 21 de agosto de 2017

NEOLOGISMO



Vi, num anúncio de TV, o seguinte neologismo: PREZÃO (anúncio de um sistema de telefone pré-pago). O vício da indagação morfológica levou-me ao seguinte raciocínio: PRÉ- é um modificador prefixal temporal que marca anterioridade. ZÃO, por sua vez, é outro modificador, agora sufixal aumentativo, próprio para nomes. É, de fato, uma variante do aumentativo -ÃO em algumas situações fonéticas. O 'Z' funciona como consoante de ligação eufônica. Essas são situações amplamente recorrentes no idioma. A novidade está no fato de, aparentemente, inexistir o nome, o substantivo, suporte morfológico-semântico das modificações. Somente o contexto situacional é o responsável pelo suporte semântico 'in absentia', que insere o conteúdo de um radical ausente, portador do significado de telefone. Assim, o neologismo em si mesmo, conduz o conceito de um novo sistema de telefonia pré-paga de grande utilidade.