segunda-feira, 14 de agosto de 2017

ESPIRITEIRA - ETIMOLOGIA DA PALAVRA

Dionysus


ESPIRITEIRA - origem da palavra. Porque álcool, em latim, era 'spiritus', os queimadores de álcool passaram a chamar-se de espiriteira. Os dicionários definem 'espiriteira' como uma espécie de lamparina ou aquecedor a álcool. Porém, essa palavra transcorre um longo percurso histórico. Álcool, em latim, é 'spiritus'. Em grego, álcool é "pneuma" (πνεύμα). Os romanos e gregos designavam o álcool por termos comuns à palavra espírito. Em grego, 'πνεύμα' é sopro, ar, respiração, volátil e também álcool. Os gregos denominavam de 'οινόπνευμα' (espírito do vinho) ao poder etílico do álcool proveniente do vinho. Este entrecruzamento de significados entre a palavra que designava álcool e a que designava espírito provém dos próprios rituais religiosos. As festas gregas em honra a Dionísio, divindade das artes e do vinho, revestiam-se do mesmo ritual sagrado das festas que se realizavam em Roma, para celebrar a divindade romana com função idêntica à divindade grega, ou seja, Baco. 
Baco
Em sendo o álcool volátil como os espíritos, também penetrava o espírito humano. Todos os que bebiam em homenagem a Dionísio ou Baco sentiam-se em comunhão com essas divindades e, por consequência, em comunhão entre si. A bebedeira era considerada um estado mútuo de comunhão, nesse cultos. Esse era um espírito de comunhão muito anterior ao dos cristãos. Por outro lado, o termo álcool, na língua árabe, transliterada para os caracteres latinos, é 'al-kuhl', em que 'al' corresponde ao nosso artigo 'o' e 'kuhl' ao substantivo propriamente dito. Esse, no entanto, é o étimo que veio a formar a palavra álcool em quase todos os idiomas modernos, nada tendo a ver com a evolução greco-romana. 
espiriteiras antigas

Porém, algumas palavras contemporâneas de nossos idiomas apontam para esse percurso semântico de significação. É o caso concreto da palavra espiriteira.