sexta-feira, 26 de setembro de 2014

ABISMO

Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara
Desesperadamente, o bebê, sem êxito, tentava, por dias seguidos, apossar-se de um móbile fascinante que lhe encantava o olhar perquiridor e a alma ingênua. Por fim, quando estava crescido e hábil o suficiente para atingir seu objetivo, encontrou-o, a mãe, todo enredado em cordões inúteis numa situação até mesmo de perigo.
NOVA TORRE - NEW YORK

Vieram, então, escola e rua. Natal infeliz, sem os patins dos sonhos... pai sem dinheiro... Hoje seriam Celular... Iphone... Ipad... Com o passar dos anos, foram mudando os desejos sempre mais altos... mais distantes também... Ausências cavando abismos na alma... Era a nuvem que se afastava da mão que a perseguia...
Primeiro automóvel, lindo, um sonho... outro... mais outro... sofisticação... luxo... mais valor... mas, à medida que apanhava o pombo ainda havia a lua distante... o mundo maneja os desejos... sempre a criança com novas cobiças... mãos ignotas, projetando sombras na parede...

Oitenta e dois... e cinco meses... luxuosas viaturas... imóveis sem conta... fazendas a perder de vista... incontáveis servidores... investimentos do oriente ao desconhecido... comendador... honrarias... prazeres...? Subiu à cobertura da torre... a mais elevada de Nova Yorque... tudo era seu... tudo o que estava ao alcance da vista, por fim, estava também disponível ao seu bolso... Confuso, perguntou à jovem que o conduzia... Por que estamos aqui? Não sei, respondeu ela, o senhor não disse a ninguém...