domingo, 7 de setembro de 2014

MAPA DE PIRI REIS – HISTÓRIA



Prof. Dr. Oscar Luiz Brisolara

Antes de estabelecer qualquer comentário sobre o seu mapa, é preciso deixar claro quem foi Piri Reis. Seu nome era Muhyiddin Pîrî Bey também conhecido como Haci Ahmed Muhiddin Piri, Reis era uma patente militar. Destaca-se, hoje, por seus mapas. Porém foi almirante da marinha turca durante o poderoso império otomano. Foi também geógrafo bem como cartógrafo. Teria nascido entre 1465 e 1470 e foi executado em 1553. É autor de um manual de navegação intitulado Livro de Navegação. Nele descreve principalmente a navegação no Mar Mediterrâneo, em que aponta pontos geográficos importantes e muitas cidades. Aponta também muitas técnicas práticas de navegação.
Antes de estabelecer qualquer comentário sobre o seu mapa, é preciso deixar claro que foi Piri Reis. Seu nome era Muhyiddin Pîrî Bey também conhecido como 
                Ele tornou-se famoso como cartógrafo somente em 1929, quando foi descoberto seu mapa de 1513, em Istambul, no suntuoso Palácio de Topkapi. Nesse mapa, aparece o que se chamava na época de Novo Mundo, como era conhecida a América nesse tempo. Seu segundo mapa saiu em 1528.
Piri Reis
Voltando ao cartógrafo, o título Reis, dado a Piri, equivale à patente de capitão. Teria nascido na Trácia. A Turquia é um país que tem um parte européia, conhecida como Trácia, que fazia parte do antigo império grego. Situa-se do lado oeste do Bósforo, o canal caudaloso que liga o Mar Negro ao Mar Mediterrâneo. Pois é justamente o Bósforo que separa, nessa região, a Europa da Ásia. Assim, a cidade de Istambul, no período da colonização grega, era chamada de Bizâncio. Quando o imperador romano Constantino transferiu a capital do Império Romano para a cidade, mudou esse nome para o de Constantinopla. Com a criação do Império Turco Otomano, que iniciou em 1299 e foi até 1929, a cidade passou a chamar-se Istambul, nome que conserva até nossos dias.
          


  Pois essa cidade é dividida pelo Bósforo. Parte está na Trácia,
Bósforo
sendo européia e a outra parte está do outro do canal, na região conhecida como Anatólia. Istambul hoje é uma megacidade com mais de 14 milhões de habitantes. Desses, 4 milhões vivem na Trácia, terra natal de Piri, e os outros 10 milhões vivem na Anatólia, região situada na Ásia.
                 





  Há diversas pontes ligando as duas partes da cidade.
Ponte Galatassarai - Istambul




Moderna Ponte - Istambul







Piri teria começado sua experiência
como homem do mar na ilha da Córsega, onde conviviam cristãos e muçulmanos. Participou também da marinha otomana nas guerras contra a Espanha, depois nas lutas entre turcos e as Repúblicas italianas de Gênova e de Veneza.
                Pois esse navegador tornou-se oficial da marinha otomana, sendo considerado mesmo como pirata por alguns. Dessa experiência marítima, passa a fazer seus mapas. Seu primeiro mapa de 1513 é feito de couro de gazela, repleto de linhas que cruzam o oceano como se pode ver na cópia ao lado. Essas linhas não indicam latitude e longitude, como o fazem os mapas atuais. Esse mapa era consistente para o manuseio naval.
Palácio de Topkapi - Istambul

                Seu mapa está ilustrado por muitos desenhos de lugares muito bem elaborados. Piri teria iniciado seu trabalho em 1501, nove anos dois da descoberta de Colombo, quando, na guerra contra a Espanha, seu tio Kemal Reis, capitão otomano, tomou sete navios da frota espanhola. Em 1513, lança um mapa e outro em 1517, ao sultão Suleiman, que impressionado com a qualidade do material, promove-o a almirante. Em 1521, publica seu Livro de Navegação, além do mapeamento global, apresenta então um guia para a navegação das ilhas e das costas do Mediterrâneo, em que inclui um relatório de Colombo sobre a descoberta da América.

          
Mapa de Piri Reis
      O Mapa de Piri Reis é o mapa mais antigo a mostrar as Américas. Mostra também a costa ocidental da África, a costa oriental da América do Sul e a costa norte da Antártica. Mostra inclusive o litoral coberto de gelo. A Antártica somente foi descoberta 300 anos depois dele. Isso prova que nem tudo o que se visitava era revelado. O que se chamava de Novo mundo era conhecido pelo menos há três séculos antes do período das descobertas, porém era mantido  em segredo pelos mais diversos interesses. Somente no momento em que se julgou oportuno explorar foi revelado ao cidadão comum. Isso se dá hoje com muitos saberes e tecnologias.




Porém, há opiniões que afirmam ser Piri Reis apenas um copista.Seus mapas somente poderiam ter sido confeccionados a partir de uma vista aérea. Neles há inclusive uma ilha que se situava entte a América e a África que desapareceu.citada pelos antigos como Antilha. Teria o cartógrafo otomano fontes antigas de que não se dispõe mais? Houve uma civilização que precedeu a nossa com avanços científicos superiores ou pelo menos do mesmo nível de que se dispõe hoje? Ou, mais ainda, seres vindo de ouros pontos do universo teriam visitado a terra na antiguidade e fornecido esses dados. Seriam os deuses astronautas? como se perguntava o estudioso Eric von Daniken.  Esses mapas são inrigantes.
                  Se Piri Reis tivesse sido o único cartógrafo com acesso a essas informações anômalas, seria errôneo dar qualquer grande importância ao mapa. No máximo, poderíamos dizer: “Talvez ele seja importante, mas, também, talvez seja apenas uma coincidência”. O almirante turco, porém, não foi o único a ter acesso a esse conhecimento geográfico aparentemente impossível e inexplicável. Seria inútil especular ainda mais do que Hapgood já fez, isto é, se a “corrente subterrânea” poderia ter conduzido e preservado esse conhecimento através das idades, transmitindo fragmentos dele de uma cultura a outra, de uma época a outra.Qualquer que tenha sido o mecanismo, o fato é que um bom número de outros cartógrafos aparentemente tomou conhecimento dos mesmos curiosos segredos. Seria possível que todos esses cartógrafos tivessem compartilhado, talvez sem saber, do abundante legado científico de uma civilização desaparecida? 
                Há também quem afirme que não foi Colombo quem descobriu a América. Teriam sido navegadores otomanos. A América seria um refúgio de líderes islamitas. A viagem de Colombo teria sido a destruição desses líderes.
                         No entanto, é fato que Piri Reis, no final da vida, depois de ser pirata oficial dos otomanos, foi considerado traidor e executado pelo sultão.