quarta-feira, 17 de setembro de 2014

PALESTINOS E JUDEUS, POSSIBILIDADE DE CONVIVÊNCIA PACÍFICA E COLABORATIVA

Prof.Dr. Oscar Luiz Brisolara
Não se trata de esconder o conflito entre palestinos e judeus desde há muito no Oriente Médio do pós-guerra. Acontece que, enquanto movimentos de ambas as facções acerbam o conflito, há muitíssimos anônimos, tanto judeus como palestinos que cultivam princípios de paz e de convivência.
Mesmo que a história de Abrão, Sara, Agar, Ismael e Isaac seja apenas uma narrativa pedagógica, como querem muitos, ela fala muito da irmandade desses povos. Há milênios, foram amados por uns e amaldiçoados por outros e deram origem a religiões que congregam bilhões de pessoas disseminadas por todo o orbe terrestre.
William César de Andrade, professor e pesquisador da Universidade Brasília, em artigo sobre a convivência entre árabes e judeus, afirma:

Diariamente, a mídia traz notícias de confrontos entre israelenses e palestinos. O ódio que divide as duas populações se expressa em ataques suicidas, invasões de casas, aprisionamentos ilegais, bombardeios, campos de refugiados, muros e segregação. De fato, tudo isso existe e tende a continuar enquanto não se efetivar uma ação de pleno reconhecimento do direito de ambos os povos coabitarem no mesmo território em condições plenas de cidadania.

Porém, logo a seguir contrapõe a essa situação o dia-a-dia desses povos em que o normal é a convivência. Veja-se ainda o que afirma o mesmo professor:

O que não aparece na mídia, são os ‘pequenos’ gestos de convivência pacífica e harmoniosa entre palestinos e israelenses. Pouco ou nada é mostrado sobre os soldados que se recusam a cumprir ordens que lhes pareçam desumanas. Enfim, há um processo que torna invisível a convivência diária nas escolas, ruas, no comércio e no lazer, ainda que, em geral, os palestinos sejam mais pobres.

Quando se viaja em Israel fora dos períodos de conflito, há uma convivência absolutamente normal entre palestinos e judeus. Tive conhecimento que, embora não muito frequentes, ocorrem uniões e casamentos inter-raciais.
Sem apelarmos para o argumento extremo que não é possível aos judeus israelitas eliminarem todos os palestinos e muito menos os palestinos aos judeus, sabe-se historicamente que os povos, por mais distintos que sejam entre si, têm, necessariamente de descobrir formas de conviver civilizadamente.
Fatos históricos milenares afastam esses povos, mas o que me parece mais plausível é que os conflitos atuais se movem muito mais por interesses menores se ambos os lados que não permitem a consolidação da paz. Porém, o que preciso salientar é que os períodos de guerra, embora sangrentos, são imensamente menores do os tempos de paz. Com uma eficiente fiscalização internacional, é possível uma paz duradoura na região. Há exemplos em escolas dos dois lados que trabalham a temática da paz e do racismo em ambas as regiões.

BIBLIOGRAFIA

ANDRADE, William César de. Uniões mistas em israel. indícios de uma realidade multi-étnica e multicultural. Disponível em: file:///C:/Documents%20and%20Settings/Administrador/Meus%20documentos/Downloads/83-170-1-SM.pdf